Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Economistas aconselham cautela frente elevação do dólar a R$ 5,14

Moeda norte-americana subiu 0,95%

Valéria Nascimento

Nesta terça-feira (16), o dólar fechou em alta, subindo 0,95%, com a venda a R$ 5,14. Um dia antes, na segunda-feira (15), a moeda norte-americana havia subido 0,38%, vendida a R$ 5,0916. Em Belém, dois economistas ouvidos pela reportagem do Grupo O Liberal, Rosivaldo Batista e o professor doutor Mário Tito Almeida, aconselharam cautela nas operações com a moeda e orientaram, como melhor atitude, a diversificação dos investimentos. 

O economista Mário Tito Almeida enfatizou que o dólar se comporta no mercado como qualquer mercadoria. Ou seja, ele obedece às dinâmicas e às variações de oferta e de procura. A ideia é aquela que vale para qualquer produto, quando o item é raro ele se torna caro. No caso específico da alta do dólar, a taxa de câmbio fica lá em cima e a moeda nacional se desvaloriza.

"Neste sentido, a gente percebe que um dos aspectos que faz o dólar subir tem a ver com a situação externa. O mundo ainda passa por crises seja por conta da guerra da Ucrânia, pela pandemia da covid-19, e mesmo por um processo de protecionismo dos Estados", afirmou Mário Tito, graduado em economia e doutor em Relações Internacionais, curso que ele coordena na Universidade da Amazônia (Unama).

Cenário instável

Além das questões externas, Mário Tito atenta para os fatores internos e, no Brasil, segundo ele, a questão do dólar tem a ver com a credibilidade nas instituições. "O Brasil não oferece aquela certa estabilidade que o investidor espera ao fazer investimentos e apostar no mercado financeiro, hoje, este investidor não sente esta segurança no cenário, o cenário não é favorável", disse Tito, referindo-se a grandes players do mercado global financeiro.

"Nestes momentos de incertezas é preciso ter cautela, o principal ativo é a cautela porque as instabilidades podem levar a perda de muito dinheiro. A ideia é você não ir com muita sede ao pote. Um grande investidor vai diversificar o portfólio dele porque de fato apostar tudo no dólar pode ser perigoso. No caso do pequeno investidor, aquele com perfil médio no Brasil, se ele comprou a moeda muito na baixa pode ser um momento certo para ele vender porque se ele comprou a US$ 3,50 a US$ 4,00, agora passando dos US$ 5,00, ele pode ganhar dinheiro sim, mas eu ainda não acho que o dólar alcançou um patamar alto diante da crise que se apresenta", disse o professor Tito.

Aplicações em títulos do Tesouro e de renda fixa atrelada à Selic

O economista Rosivaldo Batista também destacou que, "o mercado financeiro é uma das áreas da ciência econômica mais complexa e envolve várias variáveis de extrema dificuldade de previsão", afirmou. Ele enfatizou que desde o ano de 2021, por várias vezes, o dólar ultrapassou a marca dos cinco reais. 

"A política de juros do Banco Central dos Estados vai aumentar para frear o processo inflacionário, essa política de juros vai atrair investidores ao redor do mundo para aplicar na moeda americana e ao mesmo tempo criando condições cambiais para valorização da taxa de câmbio. Entretanto no mercado doméstico aconselho aproveitar as aplicações de renda fixa atrelado à taxa Selic, hoje, em 13,75% ao ano. Uma outra aplicação atrativa são os títulos do Tesouro também atrelados à taxa Selic muito melhor que aplicar na variação do dólar", assinalou o economista.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA