Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Custo médio da cesta básica em Ananindeua é de R$ 502,82, aponta estudo

Bairro com preços mais caros é o do Maguari, enquanto Paar apresenta valor médio mais barato do município

Eduardo Laviano / O Liberal

Um estudo realizado por uma escola de administração do município de Ananindeua atestou que a cesta básica na segunda maior cidade paraense custa, em média, R$ 502,82, 15,31% mais barata que a média nacional e 6,6% mais barata do que a cesta comercializada em Belém.

115 estabelecimentos foram visitados em 13 bairros de Ananindeua e apenas três deles ficaram abaixo da média registrada: Icuí-Guajará, Coqueiro e Paar.

No último, a média da cesta básica é de R$ 362,83, ou seja, 27,84% menor que a média do município e 33,47% menor do que a cesta básica média mais cara da cidade, encontrada no bairro do Maguari por R$ 545,43. Os dados da pesquisa são referentes ao mês de outubro de 2021.

Inflação pesou no bolso

O pedagogo Jonilson Carvalho faz compras toda semana e tem cultivado o hábito de pesquisar mais os preços em vez de sempre ir ao estabelecimento mais próximo.

Ele avalia que os efeitos da inflação, e a velocidade deles, impressionam quem costuma ir com frequência aos supermercados. Carvalho conta que costumava comprar três quilos de feijão para o mês inteiro, mas que agora tem comprado no máximo um. 

"Não só os itens da cesta básica, mas também de higiene pessoal. Vejo o espanto entre amigos e outros clientes com os preços, os comentários das senhoras sobre os preços do hortifrúti, principalmente. Os aumentos são de dois em dois dias. As pessoas ficam indignadas. Eu particularmente, sei que no meio a meio os valores são mais baixos, aí vou vendo em cada um deles. Às vezes compro uma parte em um, outra parte em outro. Se for para deixar para comprar nos supermercados maiores, sai muito caro. Mas mesmo no atacado a gente ainda tem surpresas. E olho também os dias de promoção, que geralmente tem o dia da carne, a quarta do peixe. Vale a pena fazer isso, por causa dos preços que diminuem", diz.

Carne é “vilã”

Responsável por 29,05% do valor médio da cesta básica de Ananindeua, o valor médio da carne possui pouca variação entre os estabelecimentos, segundo a pesquisa.

O estudo apontou, além da carne, outros dois "vilões" da cesta básica de Ananindeua: o pão e o tomate. Os três itens correspondem, sozinhos, a 59,28% do valor médio da cesta.

"Esse momento da economia está bastante preocupante, mas agora também se tornou trabalhoso, pois você tem que substituir alguns produtos e também de pesquisar preços, pois tu tens que chegar com a cesta inteira em casa, independente do preço. Eu sempre tive esse cuidado de ver os produtos, classificar eles pelo preço, mas que também seja algo que vai render. Às vezes compra por um preço baixo e não vale a pena. Tudo aumentou. O óleo de cozinha, o feijão, o arroz, a carne. Isso impacta nosso orçamento absurdamente", conta Francynês Mota, assistente social mãe de três filhos.

Mesmo não fazendo parte da cesta básica convencional, o açaí tem status de alimento basilar na culinária paraense e o fato motivou o estudo a contemplá-lo nas pesquisas.

Constatou- se que em média, no município de Ananindeua, o litro do açaí custa R$ 11,50. Todos os dados foram chancelados pelo professor Eduardo Oliveira, que coordenou a pesquisa que foi realizada por 90 alunos dele do curso técnico de administração, divididos em 18 grupos de cinco.

Para ele, a iniciativa confere protagonismo à economia de Ananindeua, já que a maioria dos dados noticiosos sobre temas como economia, inflação e preços do mercado são referentes à capital.

Pesquisa

Oliveira lembra que a metodologia e os parâmetros utilizados tiveram como referência o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos.

O trabalho foi parte da disciplina de introdução à administração, com intuito de ajudar os alunos a desenvolverem habilidades nas áreas de gerência, liderança e pesquisa de mercado, que são "importantes para um administrador", segundo o professor.

"Sempre temos a divulgação da cesta básica de Belém, nunca sobre Ananindeua. Aí tive essa ideia. O dado que considero chamar mais atenção é o do preço da carne, pão e tomate. Eles constituem 59% da cesta, o que é muito alarmante, pois a nossa região possui 12 itens na cesta. Foi o resultado mais assustador mas também o mais representativo. A pesquisa foi uma contribuição para a sociedade, pois conseguimos identificar os estabelecimentos e bairros mais caros e mais baratos. O mais barato está cerca de 20% abaixo da média do município, enquanto o mais caro está 12% acima da média do município. Isso proporciona informação e ajuda a sociedade em um momento econômico difícil", afirma Oliveira que é também mestre em geociências e teve ajuda de dois alunos na condução da pesquisa: Aryenne Carvalho e Gilvane Moraes.

O professor Eduardo Oliveira afirmou que todos que tiverem interesse em acessar o trabalho na íntegra ou tirar dúvidas sobre a pesquisa podem contatá-lo via e-mail, no endereço profjeduardo16@gmail.com.

Confira a lista

Maguari

R$ 545,43

Cidade Nova

R$ 537,16

40 Horas

R$ 522,83

Providência

R$ 522,72

Geraldo Palmeira

R$ 519,27

Jaderlandia

R$ 517,85

Centro

R$ 513,44

Icuí Laranjeira

R$ 508,96

Guanabara

R$ 504,26

Aurá

R$ 503,66

Média de Ananindeua

R$ 502,82

Icuí Guajará

R$ 500,71

Coqueiro

R$ 477,59

Paar

R$ 362,83

Palavras-chave

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA