Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Como dormir melhor: pesquisa aponta que trabalhador paraense precisa melhorar hábitos de sono

Segundo levantamento, alguns aspectos podem ser melhorados para alcançar mais qualidade de vida e produtividade

O Liberal

No Pará, 53,26% dos trabalhadores que responderam a uma pesquisa realizada pelo Serviço Social da Indústria (SESI), acreditam que dormem bem. Porém, o levantamento mostra que alguns aspectos podem ser melhorados para alcançar mais qualidade de vida e produtividade. Isso porque 43,48% dizem que despertam com frequência durante o sono; 70,65% já receberam algum comentário de que roncam, e 81,52% admitiram que costumam levar o celular para a cama para checar notificações, redes sociais e e-mails antes de dormir.

VEJA MAIS

Distúrbios do sono afetam saúde de milhares de crianças: saiba como identificá-los Em Belém, a Universidade Federal do Pará oferece atendimento gratuito no "Laboratório do Sono"

A importância do sono para atletas e os efeitos de uma noite mal dormida Dr. Rafael Fonseca falou sobre a importância do sono para atletas e destacou malefícios como queda da produção hormonal e, consequentemente, do desempenho físico e mental

Além disso, a pesquisa aponta que 60,87% dos trabalhadores no Pará se sentem cansados durante a primeira hora em que acordam. O relatório final do estudo afirma que um dos efeitos mais imediatos de dormir mal é a diminuição das funções cognitivas, deixando o indivíduo mais lento, menos alerta, menos preparado para situações de estresse e incapaz de tomar decisões de maneira racional.

De acordo com a gerente executiva de saúde e segurança na indústria do SESI Pará, entidade ligada ao Sistema FIEPA, Jacilaine Souza, a saúde do sono é uma das temáticas que entrou em destaque no âmbito corporativo, suscitado durante a pandemia do COVID-19, que impactou na rotina, no cotidiano de cada pessoa, de cada trabalhador.

“Um exemplo é o regime de home office, associando à rotina doméstica com o laboral, além do distanciamento social, ansiedade, depressão, levando a um sono irregular, de baixa qualidade, comprometendo a qualidade da saúde mental” observa, acrescentando que a pesquisa realizada pelo SESI é importante como ferramenta de apoio na construção de ações preventivas/educativas, em prol da melhoria da saúde do sono enquanto impacto positivo na qualidade de vida do trabalhador.

O levantamento foi realizado entre julho e setembro do ano passado, em todo o País, com um total de 4.174 respondentes, sendo 90 no Pará. O objetivo é avaliar o sono do trabalhador, por meio de aspectos como consciência sobre sono, comportamento do sono, queixas sobre sono, performance, reflexos na saúde, higiene do sono, tendência de busca por ajuda e utilização de dispositivos/objetos de monitoramento.

Como é o sono do paraense

  • Mais de 50% dos trabalhadores dormem mais de 6 horas por noite;
  • 75% dos paraenses entrevistados afirmaram levar menos de 30 minutos para pegar no sono
  • 86,96% despertam antes das sete da manhã
  • 72,83% se consideram matutinos, ou seja, preferem atividades pela parte da manhã.
  • 53,26% dos respondentes no Pará julgarem dormir bem
  • 43,48% dizem que despertam com frequência durante o sono;
  • 70,65% já receberam algum comentário de que roncam durante o sono;
  • 81,52% costumam levar o celular para a cama para checar notificações, redes sociais e e-mails antes de dormir.

FONTE: SESI/PA 

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA