Gaby Amarantos é acusada pela Banda Os Brothers de se apropriar de hit famoso sem permissão

O cantor Marth, da banda e criador da versão paraense de ‘Hoje eu tô solteira’, afirma que Gaby não deu os créditos devidos ao grupo

Amanda Martins*

Gaby Amarantos está sendo acusada por uma banda de tecnomelody paraense de ter se apropriado indevidamente de uma versão adaptada para o ritmo tecnomelody da música ‘Single Ladies’, gravada por Beyoncé, cuja versão ganhou o título de ‘Hoje eu tô solteira’. A polêmica surgiu após quase onze anos da primeira apresentação da cantora no programa ‘Domingão do Faustão’, comandado por Fausto Silva, na TV Globo, em que ela mostrou a música em questão. 

Na ocasião, Gaby foi apresentada por Faustão e ficou conhecida pelo público como a ‘Beyoncé do Pará’. A cantora até chegou a explicar que a letra não era dela, e sim, do produtor musical paraense e cantor da Banda Os Brothers, Marth. Ela justificou que "pegou" o single porque achava que tinha 'a cara dela'.

Nesta quarta-feira (27), após o surgimento de um relato feito por uma fã nas redes sociais de que a cantora a teria ignorado durante um voo de São Paulo para Belém, quando esta lhe pediu para tirar uma foto com Gaby, Marth resolveu expor que a artista teria feito sucesso no Pará e no Brasil em cima da versão escrita por ele. 

“Falando de humildade no Faustão, coisa que ela nunca teve com as bandas do Pará, você lembra da música ‘Hoje eu tô solteira’? Essa é uma versão de uma música da Beyoncé que eu fiz. Tecnobrega paraense, estourou no Pará e em alguns lugares no Brasil. E quando eu me espanto ela tá com a minha versão musical no Faustão dizendo que era dela”, desabafou o produtor musical, em uma conversa com um internauta.

“Safada, eu guardo até hoje o que essa perturbada fez. Mas tá com aí, Deus não dorme. Quem é isso aqui no Pará? Simplesmente uma palhaça que envergonha nosso estado com essas loucuras dela. Enfim, quem é Gaby”, questionou.

 

 

Em entrevista à Redação Integrada de O Liberal, Marth disse que a história que veio à tona agora nunca havia sido contada. E afirmou que o título de ‘Beyoncé do Pará’ foi dado primeiramente à ex vocalista da banda, May Souza, em 2010, por conta da repercussão da versão tecnomelody no estado.

À época, segundo o produtor, ele não procurou registrar a letra que fez em cima da versão original porque não tinha o costume de fazer isso. Até porque, a maioria dos tecnobregas nascem de letras americanas.

Diante de toda a repercussão que a música teve desde a primeira vez que Gaby Amarantos apareceu no Faustão cantando o hit paraense, Marth alega ter ficado chateado por não ter tido o devido reconhecimento, juntamente com a banda. E diz que esperava no minimo que a cantora tivesse pedido permissão para cantar a música no programa.

“Nunca entraram em contato com a gente [a respeito da música]. Ela [Gaby] falou meu nome, o nome da banda que cantava a música, mas era para gente estar lá. Ela representou a música sozinha, como se fosse só dela”, disse.

A Redação Integrada de O Liberal tentou entrar em contato com a assessoria de Gaby Amarantos para ouvir o posicionamento da cantora acerca da polêmica, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta.

*Sob supervisão de Ádna Figueira

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA