Rodolfo Marques

Rodolfo Silva Marques é professor de Graduação (UNAMA e FEAPA) e de Pós-Graduação Lato Sensu (UNAMA), doutor em Ciência Política (UFRGS), mestre em Ciência Política (UFPA), MBA em Marketing (FGV) e servidor público.

Aumenta esperança por vacinas contra covid-19; números no Brasil continuam muito altos

Rodolfo Marques

A Organização Mundial da Saúde (OMS) continua com a previsão do ano de 2021 para a descoberta de vacinas contra a covid-19 – com bom índice de eficácia. Para atingir essa perspectiva, laboratórios e pesquisadores do mundo todo, com suporte financeiro dos Estados nacionais, continuam com a desenfreada – e justa – procura por mecanismos de enfrentamento à pandemia. Não há dúvidas de que, por ora, o método mais adequado é o distanciamento social, enquanto que o meio mais definitivo, a curto e médio prazos, é a descoberta da vacina.

No campo das políticas públicas nacionais, o auxílio emergencial de 600 reais, viabilizados a partir de ação do Congresso Nacional, continua importante apoio para as populações mais carentes, mas os números gerais da covid-19 prosseguem muito altos, gerando um desconforto grande na sociedade. Nos últimos dias, um grupo de trabalhadores brasileiros, entidades sindicais e instituições internacionais encaminharam uma denúncia ao Tribunal Penal Internacional (De Hagge/Holanda) contra o presidente Bolsonaro, fazendo acusações de crimes contra a humanidade e genocídio, no contexto da crise sanitária. Por ora, o Planalto não pretende dar muita atenção ao caso.

Em relação aos estados brasileiros, as regiões Sul e Centro-Oeste apresentam índices piores e contaminações e mortes por mais uma semana consecutiva, enquanto que os números no Nordeste apresentam queda. No Norte, há uma certa “estabilidade”, com uma curva levemente ascendente. O Brasil continua com uma média móvel muito alta, com cerca de 1.074 mores por dia. São quase 2 milhões e 500 mil casos e aproximadamente 87 mil mortes, no início da última semana do mês de julho.

No Pará, há a retomada progressiva das atividades econômicas, em especial na região metropolitana de Belém, e a reabertura dos balneários. O governo ampliou os meios de fiscalização para deter uma nova expansão da pandemia e vem buscando o fomento de projetos para a geração de emprego e renda no estado.  Outra medida recente importante é a liberação, sob determinadas regras, para o funcionamento efetivo dos transportes públicos intermunicipais e interestaduais. Sobre a retomada das aulas na rede estadual do ensino, a decisão deve ser tomada nas próximas semanas. Eu

Neste final do mês de julho, desde o primeiro caso confirmado no Brasil – em 26 de fevereiro – o Brasil completa, portanto, 5 meses de convivência com o novo coronavírus. A batalha perdida contra a Covid-19, com perdas de milhares de vidas, e com os reflexos econômicos da pandemia, com o aumento do desemprego, são sintomas para a crise sistêmica que tende a se agravar nos próximos meses. Caberá ao governo federal buscar “remédios” para amenizar os efeitos de cenário que se avizinha.

Será a gestão Bolsonaro capaz de aplacar essa crise?

Rodolfo Marques
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!