Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Uma noite iluminada para o Leão Azul

Carlos Ferreira

O melhor desempenho na noite de estreias foi do novo sistema de iluminação remista. Renan Gorne foi outro destaque, com dois gols e boa atuação na goleada sobre o Gavião Kyikatejê, por 4 x 1. O volante Uchôa causou grande expectativa e não decepcionou, enquanto o outro volante, Jeferson Lima mostrou recursos para dar muito certo no Remo. Dos remanescentes, Dioguinho foi o melhor.

O Remo foi o que se esperava, dentro da sua reestruturação. Jogou o suficiente para tirar proveito das limitações do adversário. Sexta terá um melhor teste, em Bragança, diante do Bragantino. Ontem, tanto quanto a vitória, foi comemorada a notícia de que Felipe Gedoz rescindiu com o Nacional do Uruguai e está livre para voltar. Por enquanto, porém, trata-se apenas de uma possibilidade.

Papão se superou na aplicação tática

Elenco em ampla reforma, apenas uma semana de trabalho e estreia contra o promissor time do Castanhal. Diante dessas adversidades, a aplicação tática fez a superação do Paysandu, que deixou boa impressão no rendimento coletivo. Digamos que foi uma estreia alentadora nesse arriscado desafio de formar o novo time dentro do campeonato.

O Papão vai ter os seus percalços nesse "laboratório", mas o formado da competição vai ajudar, já que nesta primeira fase são oito jogos para cada equipe e doze clubes disputando oito vagas. O objetivo imediato dessa classificação parece uma "barbada", mesmo em meio às cobranças imediatistas por um time confiável.

BAIXINHAS

* Pelo que expressou ao falar do desempenho do Papão no jogo contra o Japiim, Itamar Shulle vai focar no planejamento com firmeza, a despeito de qualquer pressão. Para quem vai construir o time no calor da competição, tem mesmo que ser assim.

* Cearense, 28 anos, o atacante Canga, do Castanhal, nunca teve o destaque que vem ganhando no futebol paraense. No Bragantino, ano passado, foram 11 gols em 25 jogos. No Japiim ele já estreou marcando. É um jogador de muita força e faro de gol.

* Camisa da Tuna é a vigésima em 14 anos de carreira de Eduardo Ramos. A estreia com derrota para o Águia foi sinal de alerta para todos os cruzmaltinos. Afinal, foi grande o sofrimento nos sete anos na Segundinha.

* Elyeser está no time do seu padrinho. O ídolo santista Giovanni, que é torcedor do Papão, o levou de Abaetetuba para o Santos e depois para o Mogi Mirim. Elyeser, já rodado, aos 30 anos, o volante tem a primeira oportunidade de jogar no futebol paraense, e tem futebol para ser muito útil ao Papão.

* Perfeita a nova ilumimação do Baenão, inaugurada ontem na estreia do Remo contra o Kiykatejê. Assim, o estádio azulino, reaberto em 2019, volta à plenitude, apto para jogos noturnos. Nada mais providencial, visto que o Mangueirão está entrando em obras e só será reaberto no segundo semestre de 2022.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CARLOS FERREIRA