Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Sai um camisa 10 e entra outro: quem ocupa a vaga de Packer no meio-campo do Remo?

Carlos Ferreira

Zotti se encaixando no lugar de Packer

Djalma soma mais no serviço sem bola, pela capacidade de marcação. Zotti não destrói tanto, mas, com posse de bola, constrói bem mais. Djalma está a todo vapor, pronto para 90 minutos. Zotti não joga há um mês e meio. Em relação ao titular Douglas Packer, que está lesionado, Zotti se assemelha nas características de jogo, enquanto Djalma joga diferente. A julgar pelo treino de ontem, Márcio Fernandes opta por Zotti.

Com Zotti nada muda nas funções. Carlos Alberto segue como quarto homem do meio de campo, pela direita, e Gustavo recomponto pela esquerda. Zotti já funcionou bem fazendo a mesma função pelo Vila Nova-GO, em 2015, quando o time goiano foi campeão da Série C com o mesmo modelo jogo praticado agora pelo Remo.

 

Mota repete história de Renan Rocha

Mesmo sob críticas e xingamentos, o goleiro Renan Rocha foi titular do Paysandu em 43 jogos consecutivos, ano passado. A história está se repetindo este ano com Mota, titular nos 15 jogos do Papão na temporada, mas sob rejeição.

A torcida do Paysandu guarda ótimas lembranças de Emerson, que fez grande sucesso de 2015 a 2017, e a saudade cai na conta de quem o substitui. Não por acaso, vira e mexe, fala-se na contratação de outro goleiro para o Papão. Outro para a difícil missão de fazer a Fiel esquecer do seu goleirão.

 

BAIXINHAS

* Tal como o goleiro Mota, o zagueiro Micael também carrega o seu fardo. Só ficou fora de um jogo na temporada (contra o Águia, em Marabá), sempre visto com desconfiança. E o Papão só tomou 8 gols nos 15 jogos da temporada. Mas nem esses números são suficientes como argumento de defesa para Mota e Micael. 

* Pelo terceiro ano consecutivo, um gaúcho é o "cara" do Paysandu: Bergson em 2017, Cassiano em 2018 e Nícolas em 2019. Nícolas não é goleador como Bergson e Cassiano, mas é figura vital nas suas funções táticas. Jogador forte, valente e inteligente. 

* A lesão muscular de Douglas Packer era esperada. O atleta chegou e logo entrou numa sequência de jogos no Leão. Foram oito em 40 dias. Muita coisa para quem recomeçou no Leão depois de dois meses sem jogar, vindo da Indonésia. Zotti, o provável substituto, não joga desde 20 de março e só fez dois jogos integrais este ano, além de sete parciais, pelo São José/RS e Vila Nova-MG. 

* Igualmente lamentável para os azulinos é a lesão muscular de Rafael Jensen. O atleta ainda não está descartado para sábado. Se ficar fora, abre possibilidades para a estreia de Michel ou reaparecimento de Geovane. Outra hipótese seria a entrada de Djalma na lateral direita. Mas Jensen está em intense tratamento para enfrentar o Luverdense. 

* Autor de sete gols em 60 jogos pelo Paysandu, agora Diego Ivo é adversário, a serviço do Juventude. Depois de trabalhar com o valente zagueiro na Curuzu, o técnico  Marquinhos Santos o levou para o São Bento e agora para o Juventude. O time gaúcho vem com moral elevado pela classificação às oitavas da Copa do Brasil.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!