Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Remo e Independente podem se inspirar no passado para esta final

Carlos Ferreira

As melhores inspirações para Leão e Galo

Para o Galo Elétrico, óbvio que a melhor inspiração é o time campeão de 2011, do qual o atacante Joãozinho é o único remanescente. Para o Leão Azul é inspiradora a lembrança do time campeão de 1999, que deu a volta por cima depois de absoluto descrédito. O time se ajustou e atropelou na reta final. 

O atual Leão sempre funcionou sob desconfiança, mas alimentando esperança. É o que acontece hoje, na decisão. Time inconfiavel e torcida esperançosa. A festa vai depender do suor. Só associando bravura com aplicação tática e sabendo jogar em campo encharcado o Leão terá possibilidade de vencer e ser campeão. Do Independente já sabemos o que esperar. O time de Tucuruí, que só precisa do empate, supera as limitações técnicas com valentia e seu futebol solidário.

Será a segunda volta olímpica do Independente ou a 46a do Remo na história do Campeonato Paraense. 

Keven ou Mocajuba? 

Mocajuba, lateral do Galo, 36 anos, tem idade para ser pai de Keven, zagueiro do Leão, 18 anos. O que eles têm em comum nessa decisão? A busca pelo primeiro título de campeão estadual na carreira. Quem deles vai fazer festa? 

Keven tem muita estrada pela frente, mas precisa do título como credencial para ir em busca dos sonhos. Para Mocajuba esse título já é o sonho, no fim da estrada. O fato é que os dois estão ligados pela mesma busca de todos os companheiros, mas em realidades muito particulares e no mesmo nível de importância para suas equipes. 

BAIXINHAS

* Diferente do adversário, o Independente tem foco exclusivo nesta decisão, até por o ser último jogo oficial na temporada. O Remo tem a Série C chegando e já recebeu os primeiros contratados, tem graves problemas financeiros e bloqueios de receita, o impacto da saída mal explicada de Edno, entre outras interferências, além da preocupação com a probabilidade de campo encharcado e a vitória como única forma de chegar ao título.

* David Batista veio para o Remo porque Tito foi forçado pela Justiça a permanecer no Confiança/SE, quando já tinha compromisso formal com o Leão Azul. David Batista foi péssima contratação em todos os aspectos. Agora, finalmente, Tito vem para o Leão. É bom jogador. Tem tudo para dar certo!

* Sérgio Espírito Santo, garimpeiro de talentos no futebol no interior do Rio de Janeiro, amigo de Charles Guerreiro, mandou para Belém Bruno Rangel, Brenner, Fernandão, Pimenta e Fidélis. Ele, Sérgio, que estará hoje no Mangueirão, já foi do mundo da música, como agente da Banda Legião Urbana. 

* Tudo Indica que o Parazão 2019 entrará para a história com o artilheiro mais econômico. Michel, ex-Paragominas, agora no Remo, lidera a artilharia com cinco gols, um a menos que Yarlei (Paysandu), artilheiro do campeonato de 2003 com meia dúzia.

* Léo Condé tirou a semana para "laboratório" na Curuzu, experimentando e avaliando quem não teve chances com ele no campeonato, com Felipe de Jesus, Alex Galo, Jhony Douglas...

Carlos Ferreira