Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Pandemia: Leão e Papão calculam o prejuízo

Carlos Ferreira

Em dez mandos e clássicos no Parazão e na Série C, perda estimada em R$ 3 milhões. Nas mensalidades de sócios torcedores, cerca de R$ 1,5 milhão. Total: R$ 4,5 milhões. Fábio Bentes (Remo) e Ricardo Gluck Paul (Paysandu) deram os mesmos números ao responderam à coluna sobre esse impacto direto da pandemia nas finanças dos clubes.

Os clubes não vendem ingressos desde 15 de março. Além da perda de bilheteria, viram desabar a receita de sócios torcedores. Pelo que dizem os presidentes, o Paysandu está com menos de dois mil adimplentes, e o Remo com cerca de 2.200. Receita atual insignificante, até porque a maioria desses adimplentes fez pagamento antecipado do ano todo.

Papão mais impactado que o Leão

Com custos maiores que os do rival, o Paysandu está mais impactado nas suas finanças, a ponto de conviver com os embaraços de atraso salarial. O Remo, que se declara equilibrado e até faz investimento arrojado em Felipe Gedoz, está atravessando bem a crise trazida pelo coronavírus. Mas, pelo sucesso que faz nesta Serie C, estaria "bamburrando" se tivesse o público nos estádios. Assim como o Paysandu poderia ter colhido frutos do título estadual ou poderia colher agora, nessa reação da equipe, na reta decisiva.

A redução de custos no começo da pandemia, os novos contratos de patrocínio -  especialmente do Banpará, e algumas ações de marketing salvaram a Pátria. Em meioà tempestade, a dupla Re-Pa é G4 na Série C.

BAIXINHAS
* "Toda semana tem clube, até de fora do Brasil, querendo a liberação do Nicolas", disse o presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, sobre a investida do Sport Recife.
"O Paysandu não quer liberar o Nicolas, mas quem quiser vai ter que pagar a multa rescisória", completou. O atleta está vinculado até o fim de 2022. Multa: R$ 5 milhões.

* Nos ajustes feitos pela CBF nos prazos de inscrições de atletas nas quatro séries do campeonato brasileiro, clubes da Serie C podem substituir inscritos até 02 de dezembro. Restam, portanto, mais três semanas de prazo.

* Com o currículo que tem, aos 27 anos, Felipe Gedoz tem duas possibilidades no Remo: ou decola ou se afunda na Série C. A ideia do atleta deve ter sido de um passo para se impulsionar. Para isso, terá que se doar à causa do Leão: o acesso à Série B.

* O Nacional do Uruguai cedeu Gedoz ao Remo para que ele tenha sequência de jogos e se reposicione no mercado do futebol. A expectativa otimista está formada. Se Gedoz vai corresponder ou não, vai depender do nível de responsabilidade, porque talento ele tem de sobra..

* Encerramento de contratos reduz mais ainda o elenco do Imperatriz, que acena com a hipótese de não entrar em campo, segunda-feira, para enfrentar o Paysandu. Se houver WxO, vai para as estatísticas o placar de 3 x 0 para o Papão.

* Mangueirão só será fechado para obras após a Série C, no fim de janeiro. Fechamento será por dois anos, para uma transformação que aumentará a capacidade para 53 mil pessoas.

* Coluna dedicada à memória do amigo João Carlos Pereira, que mudou-se para o plano celestial.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CARLOS FERREIRA