Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Leão, possibilidades para ser líder

Carlos Ferreira

 

O Remo vira líder nesta rodada se vencer o Ferroviário e for favorecido pelos resultados do Santa Cruz e do Vila Nova. O time pernambucano precisaria perder para o Treze em Campina Grande. O time goiano até poderia vencer o Paysandu, mas ficando abaixo no saldo de gols. Mesmo que perca, em Fortaleza, porém, o Leão não sairia do G4.

A liderança do grupo, agora, tem importância apenas simbólica. Mas ter esse objetivo é se manter desafiado e motivado na competição. Fundamental mesmo é se manter na zona de classificação e avançar sempre na pontuação rumo à margem de garantia da classificação, de 28 a 30 postos.

Papão no jogo do alívio

Ganhar do Vila Nova, domingo, no Mangueirão, é se afastar da zona do rebaixamento e evitar turbulências. O Paysandu está obstinado por esses três pontos. Isso sugere o time bicolor muito valente como forma de superar as deficiências. Mas, pelo nível do adversário, terá que ser organizado, principalmente na marcação, para ter possibilidade de êxito.

Os erros de passe e o afrouxamento da marcação vêm sendo os maiores problemas do Papão. Por isso, é um dos times mais vazados do campeonato, com média de 1,3 gol tomado por jogo. Isso é o dobro da média do Vila Nova, que só tomou seis gols em dez jogos na Série C. Para que esse seja mesmo o jogo do alívio, o Papão tem que mostrar a competência que tem faltado no sistema defensivo.

BAIXINHAS

* A esperada volta do volante Uchôa, recuperado da Covid, vai significar muito para o Papão. É o melhor jogador do sistema defensivo, principalmente na iniciação de jogadas. Uchôa desfalcou o Papão nas derrotas para Remo e Santa Cruz.

* Carlos Kila, executivo de futebol do Remo, está dando a volta por cima. Ele já era alvo de justas críticas por contratações mal sucedidas, mas vem trabalhando bem nas investidas recentes, inclusive por priorizar atletas jovens, com qualidade técnica e pleno vigor físico.

* Magno Cruz, bom meia do CRB, dando "cara torta" para o Paysandu, apesar de liberado pelo clube alagoano para negociar a transferência. Com o seu bom currículo, aos 32 anos, o atleta está fugindo da Série C.

* Depois de sofrer goleada de 4 x 0 para o Ferroviário, na terceira rodada, o Vila Nova não perdeu mais na Serie C. Já são sete jogos de invencibilidade, com quatro vitórias e três empates. O argentino Emanuel Biancucchi, primo de Lionel Messi, é um dos destaques do time goiano.

* Encantador nas quatro primeiras rodadas, o Ferroviário vem caindo de rendimento e só teve uma vitória nos últimos seis jogos, além de três empates e duas derrotas. O time perdeu o seu principal jogador, Wellington Rato, transferido para o Atlético Goianiense.

* Everton Castro pagando o preço do desleixo. O lateral se apresentou ao Remo muito acima do peso, em julho, e não entrou em forma até os primeiros jogos, quando sofreu lesão muscular. Recuperado, lesionou-se novamente e perdeu a confiança do clube. Por isso, novamente recuperado, foi liberado ao término do contrato.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!