Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Azulinos golearam nas arquibancadas e Mangueirão vive promessa de uma nova era

Carlos Ferreira

Azulinos sobraram nas arquibancadas 

Com 19.516 pagantes no jogo contra o Tapajós, a torcida remista foi maior que a soma de todas as outras torcidas na primeira rodada do Parazão 2020. O Leão teve praticamente o dobro dos 9.813 pagantes do Papão no jogo contra o Itupiranga. Nas bilheterias, os azulinos deixaram R$ 482.860,00 e os bicolores R$ 226.375,00. 

Os azulinos foram soberanos nas arquibancadas em oito dos últimos nove campeonatos paraenses, a despeito de o Leão só ter conquistado quatro títulos estaduais no período. O Paysandu foi o campeão de público de 2016, quando foi campeão em decisão contra o São Francisco. 

 

Mangueirão sob promessa de uma nova era

Antifuncional, com capacidade reduzida de 45 mil para 35 mil lugares, em medida preventiva de segurança, pelas dificuldades de evacuação de público, o Mangueirão deve entrar em nova era. O governo está ajustando um projeto de transformação do estádio em arena. A construção de arquibancadas do chão até o anel superior vai modernizar e ampliar o "gigante do Benguí". 

Tão importante quanto melhorar o Mangueirão internamente é melhorar na área externa os espaços de circulação e as vias de acesso. É também fundamental que os clubes façam por merecer e deem sentido ao investimento do governo neles próprios, no campeonato estadual e no sonhado novo Mangueirão. Outro sentido seria a reclusão de Belém no radar da CBF para eventos com a Seleção Brasileira, como tanto esperamos.

 

BAIXINHAS

* Dioguinho (Castanhal), Thiago Mandi (Paragominas), Leandro Cabeça (Independente) e Caíque Oliveira (Paysandu) dividem a artilharia do Parazão com dois gols cada. Seria o caso também de Igor Quadrado (Itupiranga), se a arbitragem não tivesse anulado erroneamente um gol dele contra o Paysandu.

* Humilde na dor e solícito no alívio, Caíque Oliveira mantém a serenidade depois da noite de herói e ganha solidariedade. Claro que precisa confirmar a reabilitação nas próximas jornadas, mas já deve sentir-se fortalecido emocionalmente para tal.

* Como mandante, Carajás será dono de 80% da renda no jogo contra o Remo. Cedeu 20% porque o Leão assumiu toda a logística da venda de ingressos, que vão custar 40 reais a cadeira e 20 reais a arquibancada. Jogo no Mangueirão!

* Douglas Packer legalizado. Porém, não há certeza de quando o meia vai reestrear no Leão. Dependendo do que render nos treinamentos, pode ser acionado no segundo tempo contra o Carajás.

* Castanhal, único a vencer fora de casa na primeira rodada do Parazão, será novamente visitante no sábado, em Marabá, contra o Águia. Em Cametá, Independente x Itupiranga. Em Santarém o Paragominas vai defender a liderança no domingo contra o Tapajós.

* Golaço de Igor Quadrado, do Itupiranga, é o primeiro lance do Parazão a ganhar a moldura de Obra de Arte no Bom Dia Pará, da TV Liberal. O atleta tem 24 e é natural de Marabá.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS