Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

As imposições de padrões da CBF e as consequências delas no Paysandu

Carlos Ferreira

Quem for podre que se quebre
Seguindo uma política da Fifa, a CBF está impondo padrões de estrutura e de gestão nos clubes conforme a série do campeonato nacional. O Paysandu, na Série B, investiu em algumas adequações e tornou-se um clube com custos além das possibilidades ao cair para a Série C. A conseqüência disso é endividamento.


No rebaixamento, o Papão ficou sem receita de televisão e sofreu várias outras perdas. Algo em torno de R$ 12 milhões a menos este ano. A perda da Copa Verde ampliou o prejuízo para cerca de R$ 15 milhões. Sem poder honrar todos os compromissos, o clube se vê pressionado por onze ações trabalhistas e o risco de outras. A realidade é que na elevação de padrão, imposta pela CBF, quem for podre que se quebre. O problema é todo dos clubes!


Sociedade Anônima pode ser a saída
Lei já aprovada pela Câmara Federal permite e incentiva os clubes de futebol do país a se tornarem sociedades anônimas, como forma de ganhar suporte no mercado financeiro. Essa pode ser a saída para a solidez dos clubes, mesmo nas situações de rebaixamento.


A questão ainda assusta, principalmente os clubes mais tradicionais. Em geral, falta melhor compreensão dessa nova era. Tudo ainda é muito sombrio. Quase todos os clubes estão atolados no pântano, mas como medo de tomar o novo rumo. Em tese, os clubes de maior apelo popular deverão ser mais atraentes aos investidores, o que privilegiaria Remo e Paysandu.


BAIXINHAS
Ramalho, 39 anos, principal peça do Frei Paulistano, jogou muito pelo ASA de Arapiraca, contra o Remo, na Série C de 2017. É um vitorioso na Copa do Brasil. Foi campeão pelo com  Santo André em 2004. Adversário do Papão tem ainda mais veteranos. É o Brasiliense, dos ex-azulinos Neto Baiano e Edno, entre outros "vovôs".

Batatas quentes para o Bragantino, que vai receber o Ceará, e para o Independente, que vai receber o CRB. Os quatro times do Pará serão acionados em fevereiro na 32a Copa do Brasil.

A evolução do futebol dentro e fora de campo. Tema de palestra do colunista amanhã, 19h30, em Paragominas. Evento destinado à arrecadação de donativos (alimento não perecível e brinquedos), que vai se repetir no próximo dia 18 em Capanema e na segunda semana de janeiro em Castanhal.

Seleção do Ano para o repórter André Laurent, da TV Liberal: Vinícius; Rafael Jensen, Fredson, Perema, Bruno Collaço; Uchôa, Ramires, Lukinha, Tomas Bastos; Nícolas e Gustavo Ramos. Técnico: Robson Melo, craque: Nicolas, revelação: Lukinha.

Votos de Pio Neto, colunista de O Liberal:  Vinicius; Bruno Limao, Rafael Jansen, Perema e Bruno Colaço; Uchôa, Marcos Goiano, Douglas Parker; Vinicius Leite, Nicolas e Gustavo Ramos. Técnico: Hélio dos Anjos,  craque: Nicolas, revelação: Diego Matos.

No domingo a coluna vai apresentar os eleitos por jornalistas do Grupo Liberal, analisar a temporada 2019 e projetar 2020.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM COLUNAS E BLOGS