Mulher e advogadas que acusavam padre Marcelo Rossi têm prisão decretada

Izaura Garcia estava com um documento falso para alegar plágio por parte do padre em relação ao livro "Ágape"

Izaura Garcia de Carvalho Mendes, de 65 anos, foi à delegacia com duas advogadas e um suposto registro de sua obra na Biblioteca Nacional. Ela acusava o padre Marcelo Rossi de plágio envolvendo o livro "Ágape". O documento era falso. E, além de não receber nada, ela e as advogadas Carolina Araújo Braga Miraglia de Andrade e Mariana Farias Sauwen de Almeida tiveram a prisão decretada.

As três devem responder por formação de quadrilha, denunciação caluniosa e estelionato. As informações são do Fantástico.

"O livro que ela afirma ter sido plagiado pelo padre não existe. É uma fraude", resume o delegado Maurício Demétrio, titular da Delegacia de Combate à Pirataria no Rio.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!