Estudo mostra que soro fisiológico pode reduzir ronco em crianças

De acordo com cientistas o uso é tão eficaz quanto o spray anti-inflamatório de esteroide, prescrito para aliviar distúrbios respiratórios do sono em pacientes infantis

Luciana Carvalho
fonte

Um estudo divulgado pela revista Jama Pediatrics mostra que o uso de um spray nasal salino, com soro fisiológico, pode evitar problemas respiratórios em função do ronco e reduzir pela metade o número de crianças submetidas à cirurgia de retirada das amígdalas. As informações são do portal Correio Braziliense.

De acordo com cientistas do Murdoch Children's Research Institute, na Austrália, o uso é tão eficaz quanto o spray anti-inflamatório esteroide, regularmente prescrito para aliviar distúrbios respiratórios do sono em pacientes infantis.

Durante a pesquisa, a equipe analisou 76 crianças com idade entre 3 e 12 anos. Uma parte do grupo foi submetida ao tratamento padrão, recebeu furoato de mometasona. Outra, soro fisiológico (cloreto de sódio). Os responsáveis por todos os participantes foram orientados a aplicar o spray uma vez por dia nas crianças, ao longo de seis semanas. A equipe constatou queda nos sintomas de distúrbios respiratórios obstrutivos do sono (DRS) em todos os voluntários: 44% (grupo do mometasona) e 41% (do soro fisiológico).

VEJA MAIS

image Crianças curadas de doenças graves celebram a vida em 2023
Davi Mendes comemora a recuperação contra um câncer e Laura Trindade a superação de uma doença congênita rara

image Estudo revela que beber pouca água pode aumentar chances de morrer mais cedo
Veja a quantidade diária de água recomendada pela Organização Mundial de Saúde

image Câncer de fígado: região Norte pode ter 750 novos casos em 2023, revela pesquisa
A doença passou a integrar o novo ranking do Instituto Nacional do Câncer (Inca) que mostra os dez tipos mais incidentes na região

Para o grupo, os dados indicam que o tratamento dessa complicação comum em crianças pode ter um novo protocolo, que não precisa necessariamente ser cirúrgico. "Os resultados desse ensaio clínico sugerem que não houve diferença no efeito do tratamento entre mometasona intranasal e solução salina (...) e que quase metade das crianças com DRS poderia ser tratada inicialmente na atenção primária, não necessitando de encaminhamento para serviços especializados, como é atualmente recomendado", escreveram os autores do artigo.

Alice Baker, uma das autoras, explica que os sprays têm efeitos para além da região nasal. "Eles funcionam limpando e/ou reduzindo a inflamação não apenas no nariz, mas também no fundo da garganta até as adenoides e o tecido tonsilar para aliviar os sintomas", detalha, em nota.

Os principais efeitos adversos registrados no experimento foram sangramento nasal (9,7% no grupo mometasona e 15% no grupo solução salina) e coceira/irritação nasal (9,7% e 18%). A amigdalectomia, por sua vez, é cara, pode ser dolorosa e onera significativamente os recursos hospitalares, enfatizam os autores do estudo. Só na Austrália, são realizados mais de 40 mil procedimentos por ano.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Elisa Vaz, repórter do Núcleo de Política).

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL