Casa do bombeiro Maxwell Simões Correa, conhecido como Suel, é alvo de operação no caso Marielle

Agentes vão cedo às ruas para novas buscas para coletar provas no desdobramento da operação Lume

Agência Estado

Polícia Civil e Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro cumprem na manhã desta quarta-feira, 13, mandados de busca e apreensão relativos à investigação dos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista, Anderson Gomes.

A ação complementar à Operação Lume, deflagrada nesta terça-feira, 12, busca apreender eventuais documentos, mídias eletrônicas, celulares, armas e munições de pessoas identificadas na investigação por ligação com os denunciados Ronnie Lessa e Elcio Vieira de Queiroz.

Serão cumpridos 16 mandados de busca e apreensão autorizados pela Justiça em diversos endereços na capital.

Nessa terça-feira, operação conjunta do MP-RJ e da Polícia Civil prendeu o PM reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz.

Segundo o MP, Lessa é o autor dos disparos de arma de fogo que mataram Marielle e Anderson. Já Elcio é apontado como o motorista do veículo Chevrolet Cobalt usado no crime. Os dois foram denunciados por homicídio qualificado e por tentativa de homicídio de uma assessora da vereadora que estava dentro do carro emboscado.

Os advogados de Ronnie Lessa e Elcio Vieira de Queiroz negaram o envolvimento de seus clientes no caso. Os dois devem ser transferidos ainda nesta quarta-feira para unidades prisionais.

 

Leia mais

Suposto assassino de Marielle era conhecido pela eficiência no gatilho

Internautas mostram foto de suspeito de assassinato de Marielle com Bolsonaro

Filha de suspeito preso em caso Marielle teria namorado filho de Bolsonaro

Brasil