Áudio obtido pela PF indica quem mandou matar Marielle Franco e Anderson Gomes

Gravação faz parte de denúncia assinada pela ex-procuradora-geral da República Raquel Dodge

Redação Integrada com informações do UOL

A Polícia Federal obteve gravação telefônica, cujo conteúdo foi divulgado pelo UOL, em que o miliciano Jorge Alberto Moreth afirma, em conversa com o vereador Marcello Sicilliano (PHS), que o político Domingos Brazão mandou matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e pagou R$ 500 mil pelo atentado, que resultou na morte também do motorista Anderson Gomes.

A gravação do diálogo faz parte de denúncia assinada pela ex-procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enquanto ainda estava à frente da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Na sua denúncia, Raquel Dodge afirmou que o áudio é "a prova mais importante", até o momento, do envolvimento de Brazão como "arquiteto do atentado".

O registro da conversa foi encontrado no celular do vereador Sicilliano. Agentes da Polícia Federal (PF) haviam apreendido o aparelho.

Jorge Alberto Moreth aponta na conversa com Sicilliano, que três integrantes do Escritório do Crime são os assassinos de Marielle e Anderson: Leonardo Gouveia da Silva, o Mad, Leonardo Luccas Pereira, o Leléo, e Edmilson Gomes Menezes, o Macaquinho.

Segundo o miliciano, o trio teve o apoio do major da Polícia Militar (PM) Ronald Paulo Alves Pereira, que, segundo o relato, comandou o grupo de matadores de aluguel.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BRASIL