O que é cancêr inguinal? Entenda a doença que afeta Anderson Leonardo, do Molejo

Cantor foi está internado desde domingo (25) em estado grave

Hannah Franco
fonte

O cantor Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, voltou a ser internado no Rio de Janeiro neste domingo (24) em estado grave. O artista, de 50 anos, luta contra um tipo raro de câncer inguinal, que se desenvolve na região da virilha. Ele foi diagnosticado com a doença em 2022 e, após o Carnaval, retornou ao hospital para dar continuidade ao tratamento de imunoterapia e medicações para controlar as dores.

A doença é um tipo raro de tumor que se desenvolve na região da virilha, podendo afetar o pênis e o ânus. A condição está associada a inflamações prolongadas e, em alguns casos, pode estar relacionada à infecção pelo papilomavírus humano (HPV). O câncer inguinal é mais comum em homens acima dos 50 anos, mas pode acometer pessoas mais jovens.

VEJA MAIS

image Anderson Leonardo, do Molejo, volta a ser internado em estado grave
O músico ficou 21 dias hospitalizado em 2024 e tinha recebido alta na última terça, 19

image Vocalista do Molejo, Anderson Leonardo, recebe alta após 21 dias internado
O artista foi hospitalizado para realizar um tratamento de imunoterapia

Sintomas

Os sintomas do câncer inguinal podem variar de acordo com a extensão da doença e o tipo de tumor. Dentre os mais comuns, como no caso de Anderson, estão o aparecimento de uma ferida no pênis ou úlcera persistente no local. O homem também pode sentir dores localizadas e notar sangue ao urinar ou ter relações sexuais. Sintomas gerais, como febre, perda de apetite e perda de peso não justificada também podem ser sinais da condição.

Diagnóstico e tratamento 

O diagnóstico do câncer inguinal pode ser feito através da biópsia, coletada por uma agulha grossa, ou incisão cirúrgica. Normalmente, se faz a extração de um pedaço da lesão ou da lesão completa, e um exame de laboratório para identificar o tipo de câncer que o causou. Já o tratamento do câncer inguinal depende do tipo de tumor, do tamanho do tumor, da extensão da doença e da saúde geral do paciente. As opções de tratamento podem incluir cirurgia, acompanhada ou não de radioterapia, e, em alguns casos, quimioterapia.

*(Hannah Franco, estagiária de jornalismo, sob supervisão de Heloá Canali, coordenadora de OLiberal.com)

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Saúde
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!