Votação do decreto de intervenção no DF deve acontecer no prédio destruído

Para que a avaliação da medida assinada por Lula aconteça no Senado, Veneziano Vital do Rêgo disse que sessão será nesta terça

O Liberal
fonte

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), ao chegar a Brasília (DF) no final da tarde desta segunda-feira (9), deve decidir quando será votado o decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre intervenção federal no Distrito Federal. É o que diz o presidente em exercício da Casa, Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB). Mas, segundo ele, a matéria deve ser votada na terça-feira (10), prédio do Congresso que foi invadido no domingo (8). As informações são da Agência Estado.

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Veja como estão os prédios do STF, Planalto e Congresso após os atos de terrorismo ]]

image Senadora Soraya Thronicke consegue assinaturas para que CPI investigue atos radicais em Brasília
Eram necessárias 27 assinaturas para investigar os responsáveis pelas invasões na capital federal

image Renan Calheiros pede ao STF extradição de Jair Bolsonaro em até 72 horas
Parlamentar afirma que é “inegável” a participação ativa do ex-chefe do Executivo nos ataques contra a Praça dos Três Poderes

"Não será hoje [segunda-feira] a votação do decreto da intervenção federal no Distrito Federal", garantiu o parlamentar. "Queremos realizar votação do decreto no plenário do Senado por simbolismo", pontuou, em coletiva de imprensa após reunião de líderes do Senado nesta segunda-feira (9). "Não nos ajoelharemos diante dessas práticas terroristas."

A votação do decreto deve ocorrer de forma híbrida, presencial e remotamente, com parte dos parlamentares distantes de Brasília, devido ao recesso.

Após reunião de líderes, Vital do Rêgo disse que não houve qualquer senador que não tenha reprovado as manifestações. "Todos os senadores fizeram questão de pontuar sua indignação, revolta aos atos de depredação. Não tão somente às sedes que representam os nossos poderes, mas que vai além da depreciação, do dano causado, vai na agressão à democracia, às nossas instituições, e isso não pode ser permitido", declarou o senador, em entrevista coletiva após reunião.

Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA