CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X

Segurança nas eleições é tema de reunião realizada em Marabá

Encontro buscou alinhar estratégias para o pleito que terá mais de 6 milhões de eleitores aptos a votar em todo o Estado

Tay Marquioro
fonte

Uma reunião entre juízes eleitorais e forças de segurança que atuam em Marabá e municípios vizinhos foi realizada na manhã desta segunda-feira (8) para discutir o pleito eleitoral que ocorrerá no próximo mês de outubro. O encontro foi realizado no Fórum Eleitoral Desembargador Ary da Mota Silveira, no núcleo N​ova Marabá. Participaram do encontro os juízes da 23ª, 51ª, 56ª, 57ª, 62ª e 100ª zonas eleitorais, todas sob a jurisdição do Comando de Policiamento Regional II (CPR-II) da Polícia Militar. “Esse é o primeiro ano em que estamos realizando essas reuniões setoriais para discutir a segurança do pleito, com foco nas zonas eleitorais das mesorregiões e divididas de acordo com a abrangência dos CPR”, explicou Alexandre Santos, chefe de gabinete da Polícia Judicial do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA).

Entre as forças de segurança, além da Polícia Militar, estavam representadas a Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Exército Brasileiro, Departamento Municipal de Trânsito, Guarda Municipal e Segurança Patrimonial. Durante a conversa, foram apresentados dados gerais do eleitorado paraense e específicos de cada zona eleitoral, com vistas ao alinhamento do plano de segurança para as Eleições Municipais de 2024. “Estamos buscando também integrar os juízes locais com os representantes das forças de segurança que efetivamente atuarão no próximo pleito, já visando fornecer informações para um planejamento preliminar desses órgãos”, disse o chefe da Polícia Judicial.  

Segundo os dados do TRE-PA, em 2024, mais de 6 milhões de eleitores estão aptos a votar nas próximas eleições municipais em todo o território paraense. 101 zonas eleitorais estão distribuídas entre os 144 municípios do Estado. Esses números dão a dimensão do trabalho que deve ser exigido das forças de segurança durante os dias de votação. “Normalmente, a maioria das intercorrências, são situações como quebra de sigilo do voto, quando o eleitor tira foto da urna no ato da votação, a ‘boca de urna’ (propaganda feita irregularmente no dia da eleição), a compra de votos, o transporte irregular de eleitores... são algumas das ocorrências que a gente já espera encontrar em todo pleito”, detalha Alexandre.

Amanhã (9), o TRE-PA promove a mesma reunião em Parauapebas e, nos próximos dias, será a vez dos municípios de Xinguara, Redenção. Altamira, Soure, Itaituba e Santarém, também receberão o encontro neste mês de julho.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA