Helder Barbalho afirma que reeleição é 'reconhecimento, mas ao mesmo tempo responsabilidade'

Aos 43 anos, ele teve a vitória foi confirmada com 82,74% das urnas apuradas, por volta das 20h17

Valéria Nascimento

O governador Helder Barbalho chegou, ontem, à Doca, em um carro aberto, acompanhado da família e correligionários para a grande festa popular pela sua reeleição em, 1º turno, com mais de 70% dos votos válidos na votação para o governo do Pará, um feito histórico nas eleições do Estado.

Na coletiva, as primeiras palavras foram sobre suas compreensão a respeito da mensagem das urnas. “É de reconhecimento, mas ao mesmo tempo de responsabilidade para honrar o que a população do Pará demonstra nas urnas. Poder ser o governador mais votado do Brasil. Poder pela primeira vez na história desse estado ter (vencido) uma eleição em primeiro turno", disse ele, ao se referir ao período pós-1985, na redemocratização do País. 

Aos 43 anos, o emedebista Helder Barbalho teve a vitória foi confirmada com 82,74% das urnas apuradas, por volta das 20h17, quando ele não poderia mais ser ultrapassado por Zequinha Marinho (PL), com 27,17% dos votos válidos.

Democracia e comprometimento

No discurso da vitória, numa carreta palco, Helder afirmou que o novo governo será o da democracia e de comprometimento com o aprimoramento do trabalho. Aos jornalistas, ele disse que a votação massiva que obteve aumenta a responsabilidade de trabalhar cada vez mais para garantir o que ainda precisa ser feito para dar celeridade ao que as pessoas precisam. Ele agradeceu aos que acreditaram nele e mandou um recado de pacificação aos que não votaram.

“Eu tenho a compreensão de ser um governador para todos, de buscar unir esse estado para fazer com que as diferenças sejam diminuídas e nós possamos fazer uma grande frente de união em favor do Pará, fazendo com que o estado chegue para cuidar e acima de tudo também representar aqueles que nesse momento não estiveram conosco”. 

Sobre o segundo turno, o governador disse que nos próximos instantes vai declarar sua posição a respeito do apoio aos candidatos em disputa à presidência Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, e Jair Bolsonaro, do PL, mas adiantou sua avaliação a respeito da situação política e social que o País atravessa.

Enil da Paixão da Silva, dona de casa, disse que foi à Doca comemorar “porque ele (Helder) trabalhou por Santa Bárbara, (município da Região Metropolitana de Belém). Ele levou vacinas, fez pontes novas, reformou escolas”, disse ela, que  votou também em Beto Faro, senador, e estava feliz com as escolhas políticas, ao lado de um irmão. 

A bateria do Rancho Não Posso Me Amofiná, do bairro do Juruna, chegou às 21h30 e a festa seguiu que já estava animada com música eletrônica, seguiu animadíssima, após o MC Dourado, que canta o jingle da campanha do Helder, também subiu ao palco, cantou e dançou para alegria das pessoas que ficaram entusiasmadas com o MC Dourado fazendo os três filhos do governador, dançarem junto com ele. 

Palavras-chave

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA