Estado pede à Justiça que profissionais de hospital de campanha recebam salários

PGE solicita em petição que trabalhadores de Santarém sejam priorizados, já que valores estão disponíveis desde dezembro

Redação Integrada com informações da Agência Pará

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) solicitou à Justiça de Santarém, por meio de uma petição, que o pagamento dos trabalhadores que atuaram no hospital de campanha do município seja efetuado “com urgência”. O governo afirma que os valores estão depositados em juízo desde dezembro de 2020.

“Nessa petição, estamos demonstrando que não há nenhuma dívida do Estado com o Instituto contratado para gestão do Hospital. A parcela referente ao último mês de funcionamento do Hospital de Campanha de Santarém foi depositada por ordem da Justiça em juízo. Estamos nos manifestando pedindo prioridade, para que os valores sejam liberados em favor de todas as pessoas que trabalharam no Hospital de Campanha de Santarém. Hoje, o procurador lotado no município de Santarém deverá se reunir com o juiz responsável pelo caso para reforçar esse pedido de urgência”, explicou o procurador-geral do Estado, Ricardo Sefer.

A PGE argumenta que todos os pagamentos foram realizados de forma regular ao Instituto Panamericano de Gestão (IPG), contratado para gerir o Hospital de Campanha de Santarém.

Foram cinco parcelas, sendo que a última foi realizada em conta judicial, por determinação do Juízo de Direito da 6ª Vara Cível e Empresarial da Comarca de Santarém, devido a uma ação do Ministério Público do Estado, após denúncia de que o instituto não teria realizado o repasse do pagamento aos funcionários.

O governo do Pará ressalta que o hospital foi fechado no dia 28 de setembro de 2020 e nunca houve atrasos ou pendências por parte do Estado.

No domingo (21), a PGE fez o pedido à Justiça para que o pagamento, utilizando os valores depositados em juízo, seja feito com urgência em favor de trabalhadores que atuaram efetivamente nos hospitais de campanha.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA