Eleições 2022: Michelle Bolsonaro e Damares participaram de evento de campanha em Belém

'Não podemos ser omissos enquanto cristãos e não podemos entregar nossa nação na mão dos comunistas', declarou a primeira-dama, ao pedir votos para o presidente da República

Eduardo Laviano

A primeira-dama Michelle Bolsonaro participou de um ato de campanha em Belém na manhã desta segunda-feira (10) em uma igreja evangélica da denominação Assembleia de Deus, localizada no final da avenida Augusto Montenegro, em Icoaraci. A visita à capital paraense faz parte de uma turnê de Michelle ao lado da ex-ministra Damares Alves (Republicanos) e diversas deputadas

VEJA MAIS

Público aguarda chegada de Michelle Bolsonaro e Damares para evento em igreja de Icoaraci
Primeira-dama e senadora eleita participam de um encontro com mulheres na Assembleia de Deus - ministério Anápolis, localizada na avenida Augusto Montenegro

Michelle Bolsonaro e Damares Alves participam de encontro em Belém, nesta segunda (10)
Primeira-dama e ex-ministra e senadora eleita são aguardadas na capital paraense

ARTIGO - Voluntariado: um ato de empatia e amor
No dia 28 de agosto, o Brasil celebra o Dia Nacional do Voluntariado

O evento durou por volta de 30 minutos e, logo em seguida, as duas seguiram a agenda em Macapá, capital do Amapá.

Durante o evento em Belém, Michelle pediu votos para o marido, Jair Bolsonaro (PL) que disputa o segundo turno das eleições presidenciais no próximo dia 30. 

“Vocês são pessoas chave para multiplicar os nossos votos. Não podemos ser omissos enquanto cristãos e não podemos entregar nossa nação na mão dos comunistas”, disse.

Ao longo do discurso, Michele convocou os evangélicos de Belém a conversarem com os indecisos nos próximos dias. 

“Pensem com carinho na hora de conversar com os indecisos. Se algo acontecer não temos para onde correr. A América Latina está tomada [por presidentes de esquerda]”, pediu.

De Belém, a comitiva liderada por Michelle seguiu para Macapá (AP) e até quarta-feira deve visitar também Boa Vista (RR), Manaus (AM), Rio Branco (AC), Porto Velho (RO) e Palmas (TO).

Eleitoras de Bolsonaro acreditam na virada

A assistente social e pastora Rosana Pavão disse que foi ao evento orar pela nação brasileira e defender os valores da família tradicional. "Estamos aqui pelo futuro do Brasil e das nossas crianças. E eu percebo muito essa preocupação na Michelle. Vejo muita clareza e dados na fala dela, sem demagogias", afirmou. 

"Em Belém, infelizmente, ainda predomina muito petismo.  Mas eu acredito na virada e vamos dar a volta por cima para Bolsonaro ganhar", garantiu a terapeuta Liziê Sá enquanto esperava a primeira-dama chegar.

De fato, Bolsonaro ficou atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno na capital paraense, mas por um placar apertado: 45,74% a 43,21%. No Pará a distância foi maior, com Lula marcando 52,22% contra 40,27% do atual presidente. 

A contadora Antônia Fonseca Soares gostou muito da visita da Michelle, de quem é fã desde 2018. Na opinião dela, o evento ajuda a alinhar os objetivos da campanha e reforça que Bolsonaro se importa com os paraenses.

"Achei super positivo. A senadora até falou que já está vindo muita gente para o nosso lado. Ou seja, está sendo vitoriosa [a estratégia] de passar de estado em estado para conquistar mais votos, que é o que precisamos agora. Tenho fé que nós vamos vencer", contou. 

Damares diz que Bolsonaro não desrespeita mulheres: "Invenção da esquerda"

A ex-ministra e agora senadora eleita Damares Alves (Rep-DF) esteve em Belém ao lado da primeira-dama Michelle Bolsonaro em um ato de campanha voltado para mulheres nesta segunda-feira (10).

No microfone, Alves afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi o que mais fez ações pelas mulheres no Brasil e que as acusações da esquerda de que ele não respeita todas as mulheres são falsas. 

"Viemos aqui para falar de entregas. Aqui no Pará trabalhamos muito pelas mulheres do estado. Mas é claro que eles não vão falar disso. Estamos construindo em Ananindeua e em Breves a Casa da Mulher Brasileira, onde mulheres vítimas de violência serão acolhidas e cuidadas. São inúmeras ações", afirmou. 

O evento ocorreu em uma igreja evangélica da denominação Assembleia de Deus na avenida Augusto Montenegro. Ela também falou sobre o projeto Abrace o Marajó, que motivou diversas visitas de Damares ao Pará enquanto ministra, com o objetivo de participar de ações sociais e entregas de cestas básicas. A futura senadora criticou o projeto de lei 157/2022, que pede que o projeto seja sustado para que os próprios marajoaras participem da elaboração e formulação do programa. 

"Vou mandar um recado para a esquerda: podem entrar com qualquer projeto e ação. A esquerda quer manter as mulheres do Pará com fome, na miséria, na violência. Chega de mentiras", disse ela, que depois prometeu que Bolsonaro, caso reeleito, investirá R$4 bilhões nos 17 municípios do arquipélago do Marajó.  

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA