Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Bolsonaro volta a defender voto impresso e reforça ataques a Barroso

O presidente sugeriu que poderia haver guinada autoritária similar à da Venezuela, caso não haja alteração do sistema eleitoral

Agência Estado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira, 29, em transmissão semanal pela internet, que o Brasil não é uma "república de bananas" ao defender a implementação do voto impresso. Sugeriu que poderia haver guinada autoritária similar à da Venezuela, caso não haja alteração do sistema eleitoral.

VEJA MAIS

TSE desmente alegações de Bolsonaro sobre urna eletrônica em live Problemas nas teclas da urna e a suposta exclusividade do Brasil no uso do sistema eletrônico foram alguns dos pontos do discurso do presidente desmentidos pelo tribunal

"O que eu quero é democracia. Tantos me acusam de ser ditador, tantos me acusam de ser violento. Não somos uma república de bananas, tem alguns bananas nela. Quem quer a instabilidade de uma nação poderosa como a nossa? Somos um país forte. Não podemos aceitar na mão grande, no poder da força de alguns, alguém assumir o timão desse País e levá-lo para o caos, como assistimos na América do Sul", disse aos gritos.

Em seguida, reforçou ataques ao presidente do TSE e ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, que, segundo versão contada pelo presidente, fez articulação junto a parlamentares para persuadi-los a orientar suas bancadas a votar contra a PEC do voto impresso, de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-SP), em Comissão Especial no Congresso. "Vamos atender a vontade popular. Não vamos nos prender à vontade de um homem apenas que interfere no poder Legislativo", declarou com tom de voz ainda elevado.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA