Quatro assaltantes mortos em intervenção policial tinham entre 16 e 17 anos

Redação Integrada

O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) divulgou na noite desta quinta-feira (12), que as quatro pessoas removidas, pela manhã, do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, após serem baleadas na avenida João Paulo II na noite de quarta-feira (11), foram identificadas como adolescentes. A vítima do sexo feminino tinha 16 anos e os demais 17 anos. Todos os corpos já foram liberados aos familiares.

A Polícia Civil confirmou as mortes em decorrência do confronto na manhã desta quinta-feira (12), informando que três homens e uma mulher foram levados feridos para o Hospital Metropolitano, mas não resistiram aos ferimentos e morreram. O caso foi registrado na delegacia do hospital.

De acordo com a polícia, o grupo assaltou um taxista no bairro do Marco, tomando-o como refém. O trabalhador foi obrigado a dirigir por alguns trechos e, em seguida, foi deixado no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua. Assim que conseguiu se ver livre dos quatro assaltantes, o taxista acionou a Polícia Militar que começou a busca pelos acusados e pelo carro.

O veículo com os quatro ocupantes foi localizado na BR-316, onde se iniciou uma perseguição, seguida de confronto. Os relatos policiais afirmam que o grupo atirou contra a viatura e, em resposta, os PMs dispararam contra o automóvel em que estava o grupo, logo atingido. Os dois veículos ficaram com diversas entradas de marcas de tiros de arma de fogo. Todos os quatro assaltantes morreram. Nenhum policial ficou ferido.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA