Homem é morto com golpes de machado em fazenda de Pacajá

Cadáver do trabalhador rural foi achado em uma rede, no barraco onde morava

Caio Oliveira

Reinaldo de Sousa Cunha foi encontrado morto no começo da noite desta segunda-feira (02), no casebre onde morava em uma fazenda na zona rural de Pacajá. O homem foi assassinado com golpes de machado, em um caso que segue sob investigação da Polícia, que ainda tenta encontrar alguma linha de investigação.

O homem foi encontrado sem vida em uma propriedade rural na Estrada Vicinal Chico Elias, que tem acesso pela Rodovia BR-230 - a Transamazônica, no município do sudoeste paraense. A Polícia Civil foi ao local, e acompanhada do dono da fazenda onde Reinaldo morava, se deslocaram por vários quilômetros, até chegarem ao barraco onde o homem habitava e onde seu corpo foi abandonado. O cadáver de Reinaldo, que aparentava ter mais de 50 anos, estava em uma rede, e com cortes no pescoço e cabeça, sobre uma poça de sangue seco.

Revistando o barraco, os policiais acharam um machado em outro ponto da casa, sujo de sangue. A ferramenta foi recolhida e é considerada como sendo a arma do crime.

Segundo a Polícia Civil, nenhum documento foi achado na casa, e o homem só foi identificado no dia seguinte (03), quando em contato com a uma filha do homem, foi confirmado que a vítima se chamava Reinaldo de Sousa Cunha. O homem trabalhava na fazenda com a colheita de cacau, e até o momento, não se sabe o que pode ter servido de motivação para sua morte. Diversas testemunhas, como colegas de trabalho e o dono da fazenda, foram intimados a depôr sobre o caso.

O corpo foi removido com a ajuda do agente funerário local e o caso foi registrado na delegacia de Pacajá. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA