Em estado de surto, funcionário da Alepa é baleado ao resistir à prisão e atacar PM na Cidade Velha

Segundo as testemunhas, homem que ameaçava os transeuntes é conhecido pelos moradores; estado de saúde não foi divulgado

Redação Integrada

Um homem foi baleado por policiais militares no bairro da Cidade Velha, em Belém, após avançar contra os agentes de segurança, na noite de segunda-feira (29). Os moradores do entorno ficaram assustados enquanto acompanhavam a ação. Apesar de baleado, o homem prosseguiu agredindo os policiais e resistindo à prisão. 

Segundo o relato de moradores da avenida Almirante Tamandaré, o caso foi por volta das 23h, próximo do cruzamento do canal com a Travessa Ângelo Custódio. Nas imagens, feitas pelos moradores, é possível ver o homem sem camisa avançando contra policiais militares. Quem filma a ação afirma que o homem foi baleado no peito, mas mesmo assim, segue resistindo à prisão, até finalmente cair. As testemunhas afirmaram que conhecem o homem e que ele estava no meio de um surto.

Quem aparece nas imagens é Carlos Alberto Castro Castilho, conhecido por Carlinhos, que trabalha como inspetor de segurança da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) há quase 30 anos. À reportagem, a Alepa confirmou se tratar do inspetor e que ainda possui vínculo com o órgão.

A ocorrência foi atendida pelo 2º Batalhão de Policia Militar (BPM), que informou ter sido acionado para averiguar a situação de um homem que estaria ameaçando outras pessoas. Chegando lá, os policiais militares alegam que foram atacados pelo homem, que começou a se jogar contra a viatura, chutando o veículo.

Os policiais do 2º BPM também disseram que tentaram argumentar várias vezes, mas Carlos estava "em estado de fúria". Foi quando técnicas não-letais, como o uso de spray de pimenta, foram usadas para imobilizá-lo, mas sem sucesso. Por fim, a guarnição afirma que Carlos avançou contra um policial que, para se proteger, atirou contra o homem.

A Alepa informou que o funcionário segue internado no Hospital de Pronto Socorro Mário Pinotti, no bairro do Umarizal, porém, não divulgou o estado de saúde. O órgão disse ainda que segue em mobilização para ajudá-lo a receber tratamento, já que Carlos vem enfrentando problemas psiquiátricos. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA