Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Setor pesqueiro de Santarém pede auxílio para superar crise provocada por doença da ‘urina preta’

Até o momento, não há confirmação de casos da doença no município

Andria Almeida

O setor pesqueiro de Santarém, no Baixo Amazonas, enfrenta um momento difícil por conta do alerta lançado diante da divulgação de 4 casos suspeitos da doença de Haff, popularmente conhecida como doença da urina preta. De acordo com o diretor de Patrimônio da Z-20, João Mário dos Santos, o cenário é desfavorável para os empresários e trabalhadores da pesca, haja visto que, mesmo sem a confirmação da doença no município, a procura pelo pescado no mercado local caiu significativamente.

A média de venda semanal de pescado, que antes variava de 1500 a 2000 quilos de peixes, caiu para bem menos da metade, fazendo com que o volume não comercializado gerasse um estoque. O setor aguarda orientações da vigilância sanitária para saber que destinação dar ao produto.

“Temos um estoque na feira do pescado, mas não temos como armazenar, pois não dispomos de câmara frigorífica, e como as vendas caíram muito fica até complicado investir em gelo. Não sabemos o que fazer com o peixe”, disse João Mário em entrevista à Redação Integrada O Liberal.

Ainda segundo o diretor, muitos pescadores que vendiam toda a produção no município agora estão retornando para suas comunidades com toda a carga. E alerta que os trabalhadores do setor precisam do apoio governamental para superar essa crise, por meio da antecipação do auxílio defeso ou da liberação de algum benefício que garanta uma via de subsistência.

”Nós participamos novamente de uma reunião com o poder público municipal e o que nós solicitamos foi a brevidade no resultado dos exames para comprovar que o nosso peixe não está contaminado e também a antecipação do nosso seguro defeso ou até mesmo o pagamento de um auxílio, o que ainda não está descartado. Estamos avaliando se vamos a Belém tratar do tema com o governo estadual ou até mesmo a Brasília, para garantirmos os nossos direitos.”

A Colônia de Pescadores Z-20 ainda não adotou nenhuma medida preventiva com relação a disponibilização das espécies de peixes que apresentam a toxina causadora da doença de Haff. A cooperativa aguarda o resultado das análises feitas pela Vigilância Sanitária do município.

Bruno Costa, secretário de Agricultura e Pesca de Santarém, alerta que a desinformação é a principal responsável pela crise no setor pesqueiro do município. “Além da preocupação com a doença, também tem a questão do impacto econômico. Há relatos de pescadores que tiveram uma redução integral nas vendas, ou seja, 100%. Isso é preocupante, pois somos uma região produtora e consumidora. Precisamos combater as fake news e levar a informação correta para a população”, diz.

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ