Fósseis de espécie humana enigmática são encontrados em ilha das Filipinas

Humanos de estatura baixa e dotados de uma mistura inesperada de traços arcaicos e modernos surpreendem cientistas

Reuters

Dentes e 13 ossos fossilizados escavados em uma caverna das Filipinas são de uma espécie humana enigmática e até então desconhecida, provavelmente de estatura baixa e dotada de uma mistura inesperada de traços arcaicos e modernos, disseram cientistas nesta quarta-feira.

A descoberta dos restos de ao menos três indivíduos desta espécie, batizada de "Homo luzonensis", na Caverna de Callao, na parte norte da ilha de Luzón, marcou a segunda ocasião do século 21 em que um membro desaparecido da família humana foi descoberto em ilhas do sul asiático.

Os pesquisadores não conseguiram extrair DNA, mas determinaram que um dos indivíduos viveu 67 mil anos atrás, e outro 50 mil anos atrás.

Em 2003, fósseis de outra espécie insular --o "Homo floresiensis", apelidado de "Hobbit" devido ao tamanho diminuto-- foram escavados em uma caverna da ilha indonésia de Flores, a cerca de 3 mil quilômetros de Luzón.

Não há indícios de que as duas espécies interagiram ou foram próximas. O "Homo luzonensis" não foi um contemporâneo do Hobbit, mas de nossa espécie, "Homo sapiens", que emergiu na África aproximadamente 300 mil anos atrás.

Os cientistas disseram não poder descartar a possibilidade de que a chegada de nossa espécie na região tenha contribuído para o desaparecimento do "Homo luzonensis". O "Hobbit" também desapareceu cerca de 50 mil anos atrás, mesma época em que o "Homo sapiens" se espalhava pela região.

As descobertas de Luzón e Flores demonstram que a história da evolução humana é mais complicada do que se entendia. A Ásia tem oferecido surpresas, e pode haver mais pela frente, segundo os pesquisadores.

Eles foram circunspectos ao descrever a aparência física e o estilo de vida do "Homo luzonensis", já que só se encontrou um aglomerado esparso de ossos das mãos e pés e dentes de dois adultos e um jovem, mas nenhum fóssil de crânio.

Principalmente com base no tamanho dos dentes, parece que este era muito menor que o "Homo sapiens", mas não está claro se era tão pequeno quanto o "Hobbit", que tinha cerca de 1 metro de altura.

"Temos que continuar sendo cautelosos a respeito dele, especialmente porque as pessoas pensarão imediatamente no Homo floresiensis como um 'modelo' para a aparência física do Homo luzonensis, o que certamente não era o caso", disse o paleontólogo Florent Détroit, do Museu do Homem-Museu Nacional de História Natural de Paris.

Alguns de seus traços são tão arcaicos que lembra o Australopitecos, um membro primitivo da linha evolucionária humana que pereceu cerca de 2 milhões de anos atrás, e as espécies humanas antigas "Homo habilis" e "Homo erectus".

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!