Paysandu pode lucrar aproximadamente R$6 milhões com venda de Pikachu

Jogador do Vasco interessa time americano do Orlando City. Papão tem direito a parte da venda do atleta

Lance

As conversas pelo futuro de Yago Pikachu avançaram nos últimos dias. Após ter recebido sondagens de equipes de fora do Brasil, o meia do Vasco vem gostando da ideia de acertar sua transferência para os Estados Unidos da América. O Orlando City, da Major League Soccer (MLS), é o clube que está mais perto de conseguir a sua contratação. Para isto, os estadunidenses deverão desembolsar a multa rescisória de 20 milhões de dólares (R$ 77,1 milhões, na cotação atual).

 

Yago Pikachu havia recebido sondagens da Ásia, especialmente do Japão, da Europa e dos EUA. O staff do meia e o próprio jogador vêm indicando evoluções nas conversas justamente para a ida ao país da MLS. Esta preferência se deve ao fato de as primeiras sondagens oriundas dos EUA terem começado no início do semestre, após a troca de empresário de Pikachu: Carlos Lisboa, pai do atleta, deixou de agenciá-lo, com Carlos Leite assumindo o posto, apesar de ainda ter poder de decisão no futuro do seu filho.

Se confirmada a transação de Yago Pikachu para fora do Brasil e com o valor da multa rescisória, o Vasco receberia R$ 46,2 milhões por possuir 60% dos direitos do meia. O meia intensificou no curso de inglês nas últimas semanas visando esta possibilidade, inclusive. Ao ser contratado pelo Cruz-Maltino no início de 2016, o pokémon tinha sido destaque do Paysandu (PA) e era considerado uma aposta do clube. A multa rescisória de Pikachu para clubes nacionais é de R$ 30 milhões.

Os anos se passaram e Yago Pikachu, hoje com 26 anos, vem desempenhando papel fundamental na equipe comandada pelo técnico Alberto Valentim. O último jogo neste 2018 foi diante do Palmeiras, na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, quando acabou expulso. O contrato do atleta, artilheiro do Vasco em 2018 com 19 gols após 59 partidas disputadas, com o clube é até o 31 de dezembro de 2021, mas a direção em São Januário não forçará a permanência pelos altos valores envolvidos que podem entrar nos cofres do clube. 

Paysandu