Paysandu encontra dificuldades para rescindir com atletas e comissão técnica

Clube vem tentando cumprir com seus compromissos neste final de ano

Redação Integrada

O final de ano dos bicolores não foi como o esperado. O rebaixamento para a Série C ainda dói nos torcedores do Papão e a projeção de perda de receita implica em situações complicadas no clube, principalmente agora, na hora de fechar as contas dos atletas e membros da comissão técnica que não irão permanecer no Paysandu em 2019.

Leia mais: 

Câmara de Belém aprova mudanças e amplia tempo de venda de bebidas nos estádios

Em Portugal, presidente do Paysandu tenta resolver impasse sobre zagueiro

 

A equipe do departamento jurídico vem se desdobrando para tentar passar para a nova gestão um Paysandu tranquilo. O vice-presidente do Papão, Alexandre Pires, disse que as negociações com os atletas estão caminhando, porém com a boa vontade deles na hora da rescisão.

“Desde o dia 30 com o fim dos contratos estamos trabalhando essas rescisões . A situação financeira não é confortável, mas estamos contando com a boa vontade dos atletas e temos conseguido fechar as rescisões. Não soa todos os jogadores que recebem um mês adiantado. No final é uma rescisão normal, como de qualquer trabalhador e pagamos FGTS, 13º. São muitos os encargos que o clube paga ao final de um contrato com um jogador”, disse, Alexandre.

Paysandu