Patinadora paraense encara desafio profissional na modalidade radical

Tati Ribeiro vai se morar na exterior e colocar em prática o sonho de ser profissional do patins

fonte


Tati Ribeiro, radialista e apresentadora, desde a adolescência teve inclinação para o mundo esportivo. Já teve experiência em várias modalidades e foi no patins que abraçou sua causa como incentivadora do esporte radical, inclusive, adotando-o como modelo de bem estar à saúde.
Na estrada, cerca de quinze anos e precursora na formação de grupos de patinadores na capital, Tati Ribeiro esteve no mês de fevereiro esteve na Bélgica, na cidade Gent, ao sul da capital, Bruxelas, onde participou de uma competição de indoor, representando o Pará e conseguiu um bom sétimo lugar, ficando apenas poucos segundos atrás da sexta colocada.
“Foi uma experiência sensacional participar desse indoor cuja estrutura é fenomenal. Participei da faixa dos seniores, encarei patinadoras bem preparadas, treinadas com um nível técnico superior ao que estamos acostumado a ver por aqui e outros estados”, pontua.
Tati diz que os asfaltos das ruas de Belém são imprópris para os patinadores, pois provocam riscos de acidentes, e conta que a capital paraense precisa de um velódromo igual ao do Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, para o esporte ter seu próprio canto. “Já imaginou Belém ter um espaço próprio para o patins? Seria o máximo, né?!”, vislumbra.
Treinando no Rio de Janeiro, Ribeiro competirá na prova de 24h na França num grupo de 12 pessoas. Em julho, estará na Espanha numa prova semelhante da capital francesa. Já em setembro participará da maratona de Berlim. “ Preciso estar bem preparada”, assinala. Ela destaca que nas competições na Europa vai ter o apoio da Sejel (PMB), por meio da Lei Tó Teixeira. 

Profissional

As dificuldades em relação à prática da modalidade em Belém fizeram a patinadora tomar uma decisão importante na vida: vai se tornar patinadora profissional e para isso deverá deixará Belém para se radicar na Bélgica, onde o patins é profissional e oferece grande estrutura ao atleta.
Outro fator que pesa na decisão da paraense é o casamento com o belga Steven Leeman, também patinador. “Verdade. Irei embora de Belém em junho. Vou casar com Steven e morar na Bélgica”, destaca, revelando que o namorado é também patinador. "Nos conhecemos numa prova. Estivemos junto agora em Gent (Bélgica)". 
Antes de deixar Belém e o Brasil a patinadora vai promover, como despedida dos asfaltos belenenses, a prova 'Road Trip Sal 5' no dia 18 de maio em Salinas, evento com apoio da Rolling Sport.
 

Mais Esportes
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM MAIS ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES