CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X

Estudo aponta que brasileiros são os consumidores mais influenciados por anúncios online do mundo

A pesquisadora Danuta Leão que novo padrão de consumo é resultado da pandemia da covid-19

Daleth Oliveira
fonte

Um estudo realizado pela Rakuten Advertising e pela RetailX Consumer Observatory aponta que, dentre todos os consumidores do mundo, os brasileiros são os mais influenciáveis por publicidade online. Os dados mostram que cerca de 37% dos consumidores do Brasil compram imediatamente após consumirem anúncios online. A média mundial é de 14%. Para a pesquisadora e professora paraense Danuta Leão, essa taxa é resultado da pandemia da covid-19.

“O brasileiro já possui o hábito de ser extremamente consumista comparado com outros países. Mas um ponto interessante é que, após a pandemia, por conta desse consumo reprimido do isolamento social, o brasileiro adquiriu novos hábitos. Após ficar muito tempo em casa, ele vem consumindo muito mais as redes sociais e fazendo compras por meio de e-commerce”, afirma Danuta.

image Dra. Danuta Leão é professora universitária em Belém (Igor Mota / O Liberal)

Além desse padrão de consumo, ela considera que o alto nível da qualidade da propaganda brasileira também tem seus méritos. “É importante frisar que esse índice de aceitação dos anúncios tem a ver também com a nossa publicidade que é extremamente criativa. Ela consegue saber onde está esse cliente, onde está o público alvo. Por isso que o brasileiro se torna muito mais consumista através das redes sociais e comprando muito mais através do digital”, afirma a professora universitária.

Frequência

A pesquisa apurou que a maioria dos brasileiros adquire produtos no e-commerce mais de uma vez por mês (42%), enquanto 24% mantêm uma frequência de mais de uma vez por semana. As razões mais citadas pelos entrevistados foram: preço (81%), opções de frete (43%), conveniência (40%), escolha própria (37%) e reviews (21%). A categoria com maior volume de conversão de vendas entre os brasileiros é a de cosméticos, com 64%, seguida por flores e presentes (59%), e bebidas (56%).

Esse é o caso da Joanne Cardoso, 27 anos. Ela mora na Marambaia, é arquiteta e faz compras online ao menos uma vez no mês. “Eu compro em lojas digitais com muita frequência, geralmente coisas pro trabalho, como acessórios de informática. Eu me considero rata de promoção, então estou sempre procurando promoções”, conta.

image Joanne Cardoso faz compras online frequentemente (Igor Mota / O Liberal)

“O fato de eu já procurar os produtos, já faz com que apareçam anúncios direcionados pra mim, de acordo com minhas pesquisas. Isso vira um ciclo de olhar o anúncio, clicar, fechar, aparecer mais anúncio e assim vai. Mas não acho ruim, pelo contrário, acho bom pois a gente acaba tendo mais opção para comparar antes de comprar”, completa Joanne.

A pesquisa revela que os brasileiros também são os que mais interagem com anúncios online em plataformas de conteúdo específico, com destaque para o Instagram (69%) e o YouTube (51%), canais em que o Brasil lidera. Outro fator apontado é que 81% dos consumidores valorizam muito as resenhas de produtos. Estes preferem comprar algo após assistir ou ler uma resenha positiva na página do vendedor ou em outra página de resenhas.

Vale a pena anunciar?

A professora Danuta garante que vale a pena anunciar. Ela defende que anúncios pagos são ideais para falar diretamente com aquele público que já está interessado ou tem alguma afinidade com a marca.

As vantagens de anunciar é que você consegue encontrar o seu consumidor, saber onde que ele tá, quem é ele, definir se você quer anunciar apenas para as mulheres ou apenas para os homens, se quer anunciar através de idade ou região; é possível fazer isso e principalmente com quem tem interesse em comprar um determinados produtos. Então essa é a grande vantagem das redes sociais digitais”, explica a professora.

VEJA MAIS

image Tentativas de fraude on-line geram prejuízos de R$ 5,8 bilhões em 2021
Norte foi a região que apresentou o maior índice no estudo. Celulares foram os mais visados nas tentativas de fraude com um índice de 5,6% do total de pedidos, segundo o Mapa da Fraude

image Compras on-line de final de ano devem ter atenção redobrada 
Entre setembro e outubro de 2021, as tentativas de golpe aumentaram 208%, segundo a empresa russa Karpersky: de 627,5 mil casos para R$ 1,9 milhão.

image E-commerce cresce 68% no primeiro ano de pandemia
Foi ano de milhares de empresas decidirem iniciar sua jornada no mundo digital enquanto milhares de usuários fizeram sua primeira compra online ou adquiriram mais produtos em comércio eletrônico

Para isso, é preciso conhecer e saber se comunicar com seu consumidor. “Um bom anúncio online é aquele que consegue ter a linguagem adequada para o público. É aquele que consegue de uma linguagem simples atingir e passar a informação do que você quer vender. As informações de onde e quanto são básicas. Outro fator importante é que você precisa entender a linguagem de cada rede social para que você consiga falar com o público”, defende.

Por fim, a pesquisadora diz que também vale a pena investir em influenciadores ou criadores de conteúdo. “Eles têm um papel fundamental na propagação da sua marca. Agora, uma dica é que você entenda se esse influenciador conversa com a sua marca e com o seu público. Então, não se deve olhar para números de seguidores e sim, para o conteúdo, buscando saber se ele está adequado ao de sua marca e público”, finaliza.

Palavras-chave

Empreenda +
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!