Vendas do varejo caem pelo segundo mês seguido no Pará

Resultado é o pior para o mês de maio desde 2016, quando o recuo foi de 5,6%

Thiago Vilarins/ Sucursal de Brasília

As vendas no varejo paraense voltaram a registrar retração em maio, com variação de -0,4% na comparação com o volume de mercadorias comercializadas em abril, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quinta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa é a segunda queda mensal consecutiva em 2019. Em abril último, o comércio varejista do Estado iniciou o declínio com redução de 2,9%, interrompendo uma série de variações positivas desde o início do ano - janeiro (1,2%), fevereiro (1,0%) e março (2,0%).

O resultado é o pior para o mês de maio desde 2016, quando o recuo foi de 5,6%. Ainda para efeito de comparação, em maio de 2018 foi anotado um crescimento de 0,8%. O desempenho mensal em maio foi o décimo pior do País. Minas Gerais (-1,5%), Roraima (-1,4%) e Rio de Janeiro (-1,4%) tiveram os decréscimos mais acentuados. Na outra ponta, os melhores percentuais foram os do Amapá (8,1%) e Santa Catarina (2,4%). Em todo o País, a variação de abril para maio foi de -0,1%.

"O quadro é de ajuste, pois aponta para uma recuperação lenta do varejo paraense frente a forte queda do último mês. Em face da indefinição sobre os rumos da economia do país, há menor oferta de empregos e renda, que impacta no comportamento dos consumidores. De qualquer forma, a vendas nos hipermercados do Pará é que tem sustentado essa recuperação frente ao mês de abril", avalia o IBGE/PA.

Em compensação, frente ao mesmo mês do ano anterior, o comércio varejista paraense ampliou 1,9% - mesmo assim, a menor elevação para o mês de maio, nesta análise, desde 2016 (-16,7%). No último mês de abril foi verificada uma variação de 5,3%, enquanto, há um ano, o incremento foi de 5,7%. O acumulado nos primeiros cinco meses de 2019 foi de 3,9% e o acumulado nos últimos 12 meses (5,5%) manteve-se estável em relação a abril (5,8%).

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!