Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Etanol ficou mais barato em junho, mas acumula alta em doze meses no Pará

Estado comercializou o segundo litro de álcool mais caro do Norte

Elisa Vaz

Às vésperas da publicação do decreto que estabelece a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado em cima dos combustíveis no Pará, o preço do etanol vendido nos postos locais já vinha caindo.

Segundo uma pesquisa do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o litro do etanol teve uma queda de 1,96% em junho, na comparação com o mês anterior, passando de R$ 6,31 para R$ 6,19, em média. A pesquisa foi feita com base em dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Mesmo assim, o Pará encerrou o mês passado como o segundo Estado da região Norte com o etanol mais caro, sendo o quinto preço mais alto do Brasil. Os Estados que venderam álcool com os maiores valores foram Amapá (R$ 6,49), Rio Grande do Sul (R$ 6,43), Rio Grande do Norte (R$ 6,26), Ceará (R$ 6,23), Pará (R$ 6,19), Rondônia (R$ 6,18), Roraima (R$ 6,17), Bahia (R$ 6,14), Acre (R$ 6,12) e Santa Catarina (R$ 6,11).

No acumulado do ano, no entanto, o comportamento foi o oposto: o etanol ficou 0,27% mais caro de janeiro a junho, já que, no início do ano, custava uma média de R$ 6,14. Na comparação com o mesmo período do ano passado, a alta foi ainda maior, na casa dos 17,51%, ultrapassando a inflação calculada para os últimos doze meses, perto de 12%. No final do primeiro semestre de 2021 a população encontrava o litro do álcool por uma média de R$ 5,27, mostra o Dieese.

O órgão também avaliou os preços nos municípios paraenses. A média encontrada nos postos de combustíveis foi de R$ 6,32 por litro de etanol em Belém. No interior, Conceição do Araguaia foi a cidade que comercializou o litro de álcool mais caro, custando, em média, R$ 7,50; seguida de Santarém (R$ 7,01); Xinguara (R$ 6,87); Parauapebas (R$ 6,78); Itaituba (R$ 6,34); Marabá (R$ 6,31); Belém (R$ 6,23); Redenção (R$ 6,15); Castanhal (R$ 6,11); Abaetetuba (R$ 6,09); e Ananindeua (R$ 5,89).

Com o decreto publicado pelo governo do Estado nesta segunda-feira (4), em edição extra do Diário Oficial, há uma estimativa de que cada litro tenha uma queda de R$ 0,45 no preço, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Estado do Pará (Sindicombustíveis-PA).

Palavras-chave

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA