Mateus Moura e mais 20 artistas lançam música em homenagem ao mestre Chico Braga; ouça

Homenagem marca o quinto ano sem o grande representante da cultura paraense de Algodoal

No dia 7 de setembro de 2015, o mestre Chico Braga sofreu um ataque fulminante e deixou este plano com 65 anos. Ele era pescador desde a adolescência e, assim como seu pai, fazia carimbó. Porém, Chico Braga fez mais história que seu antecessor.

Era um mestre reconhecido na região do salgado paraense como um cantor e compositor virtuoso, que compunha letra e melodia de cabeça, sem nunca anotar nada. Se recusava a cantar carimbós de outros compositores e vivia na ilha como uma lenda andante seguido pelos cachorros de Algodoal onde fosse. Seu espírito encantado influenciou o músico e multiartista Mateus Moura a compor o carimbó-homenagem “Viva Chico Braga” que será lançado nesta segunda, 7 de setembro, lembrando 5 anos sem o mestre.

Para Mateus Moura, Chico Braga foi tão potente em vida que conseguiu mudar o calendário, tirando o foco das celebrações do Dia da Independência do Brasil e inventando o “Dia Transnacional do Chico Braga” para marcar não a data de sua morte, mas o dia em que se encantou e “foi pro mar”.

“Quando o conheci, refleti muito o que era ser artista, porque esse meio cultural da música urbana cria várias ilusões do que é necessário pra ser considerado um ‘artista sério’. O Chico me inspirava a libertação de todas esses penduricalhos. Ele morava e vivia do jeito que queria, cantava a própria existência e as músicas dele eram conhecidas sem ele nem precisar gravá-las. Como compositor eu o admiro muito pelo nível de simplicidade que ele atinge, as imagens do dia-a-dia que valoriza com seus versos sempre marcantes e esse lugar que a poesia dele encontra, entre a crônica e a encantaria”, confessa Mateus.

Composta há mais de um ano em uma oficina de cinema ministrada por Mateus Moura em Magalhães Barata, terra natal de Chico Braga, a letra veio junto com um documentário sobre os primeiros anos de vida do mestre. As entrevistas com a família que ainda reside na cidade e as histórias do “Chico Gó”, como era conhecido por lá, serviram de material para o curta, mas também para o carimbó que se formava nas mãos de Mateus.

As palavras que celebram “Maraca, maraca, maraca / Viva Chico Braga” logo ganharam coro nas rodas de carimbó de Belém, seja por Mateus ou outros grupos como o “Cobra Venenosa” e o “Vivência Percussiva”. O convite para registro da música veio pelo Estúdio dos Bichos, de administração dos artistas Cachacinha e DK (Daniel Kahwage), com participação de 20 artistas na gravação e ficou guardada esperando o dia certo para vir ao mundo.

Um pescador, bebum, praticamente sem documentos se transforma num herói da resistência artística e do carimbó pau e corda para outros artistas que ainda tentam entender a relação entre arte e venda. Léo Chermont, músico, guitarrista e produtor musical, se apaixonou pelo modo de vida e pela criação de Chico Braga e foi um dos responsáveis pelo único registro de que sabe até o momento das músicas do mestre.

“Eu realmente acho que o Chico foi um dos últimos mestre praianos de carimbó ‘roots’ vivo, dos mestres que realmente eram pescadores, que moravam na beira da praia... Por isso eu tive tanto interesse de trabalhar com ele, porque eu nunca tinha visto isso numa totalidade. Pra mim, era uma parte viva da história da música paraense. Ele deixa ainda a oralidade do conhecimento do pescador, o mito que se cria sobre uma lenda que é real. Eu acho que mais importante que a música, que o repertório, é a carga cultural que isso leva pro nosso estado e pra todos os mestres que continuam fazendo isso pela causa maior da cultura”, analisa o músico.

A memória de Chico, sua vida repleta de encantaria e seu fascínio pela princesa de Algodoal ficam firmes na história da música paraense. Nesta segunda-feira, é dia de celebrar a obra do mestre e a homenagem que ecoa “Viva, Chico Braga” nas vozes de Mateus Moura e diversos outros artistas do estado. A música já está disponível em todas as plataformas digitais.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA