Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Paysandu: cansaço, superação e um ponto a mais

Carlos Ferreira

Boa atuação no primeiro tempo, flagrante cansaço no segundo tempo e empate com o Londrina (0 x 0), que não deixou de ser interessante. O Paysandu se manteve em posição de acesso: segundo lugar, com os mesmos sete pontos do Remo, mas superado no saldo de gols. Re-Pa mais do que temperado no domingo. Quem vencer, estará na Série B em 2021.

O Papão perdeu Tony, expulso. A volta de Uchôa ainda é dúvida, como também de Bruno Collaço, que, lesionado, nem entrou em campo. É o Papão com seus problemas e toda a admirável superação que o mantém credenciado para a conquista do sonhado acesso.


Apreensão toma conta dos azulinos

Dos oito clubes que disputam o acesso, só Ypiranga e Brusque jamais estiveram na Série B. E dos outros seis, o Remo e o Ituano são os que estão distantes há mais tempo, 13 anos. Essa demora para o retorno à posição de honra (Série B) dói muito mais no Leão Azul, por ser clube de massa, que funciona sempre sob intensas cobranças.

É natural a apreensão causada pela derrota para o Ypiranga. Como não poderia ser diferente, a semana de Re-Pa eleva os remistas à máxima atenção. O clássico pode decidir o acesso ou triplicar as responsabilidades na última rodada, contra o Londrina. O Remo ainda é um concorrente privilegiado, mas com todos os motivos para manter o alerta ligado, a um passo do que tanto persegue, desde a queda de 2007.

 

BAIXINHAS

* A derrota para o Ypiranga foi a quarta do Leão Azul em 22 jogos. O time azulino ainda é o que menos perdeu e o menos vazado do campeonato, com 14 gols tomados. E o lateral Marlon é o rei das assistências nesta Série C, com seis passes para gol.

* Foi sofrível o rendimento de Eduardo Ramos ao substituir Felipe Gedoz em Erechim. Carlos Alberto nem viajou. O Remo sofre pela falta de um meia capaz de armar e dinamizar o time, tendo três talentos da função, todos em estado atlético desfavorável.

* Juninho veio do Mirassol para o Paysandu, emprestado, e está na luta pelo acesso à Série B. Enquanto isso, o clube paulista está a um empate do acesso à Série C, depois de ter derrotado o Aparecidense/GO, por 2 x 1, no "mata mata" decisivo.

* Alemão, técnico do Londrina, foi jogador do Paysandu (volante), em 2004 e 2005, quando o bicolor estava na Série A. Fez 37 jogos e um gol pelo Papão.

* Depois do Re-Pa do próximo domingo, o Re-Pa seguinte (confirmado) será o do Parazão, em março. Mas Leão e Papão poderão se reencontrar antes, em fevereiro, na semifinal da Copa Verde. Resta saber se no Mangueirão ou se o estádio já estará fechado para as obras da transformação em arena.

* Na versão digital (oliberal.com), a coluna passa a divulgar fotos de times amadores tradicionais do interior e da região metropolitana. O primeiro homenageado é o Luiz de Moura, de Ourém, que tem filiais em Belém, Capanema e Macapá.

(Divulgação)

* O Luiz de Moura (nome do fundador de Ourém) foi fundado em 1966, teve como atletas o atacante Paulo Augusto e os volantes Charles Guerreiro e Zé Augusto, todos com carreira profissional. Em 13 jogos contra times profissionais, apenas duas derrotas. 

(Divulgação)

 

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CARLOS FERREIRA