Relatório nacional mostra que região Norte lidera ranking de desperdício de água

Redução do índice em âmbito nacional para 25% poderia significar uma economia de R$ 6 bilhões

O Liberal
fonte

Que se desperdiça muita água potável captada de mananciais antes que chegue aos consumidores, já se sabia. Mas o tamanho do prejuízo foi revelado pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), que traz os números de 2021. O Brasil desperdiça quase quatro a cada 10 litros da água que deveriam ser entregues pelas empresas de abastecimento. É água potável captada nos mananciais, mas que não chega até as casas das pessoas. O Norte é a região onde há maior desperdício, chegando a 51%. As informações são da Agência Brasil.

VEJA MAIS

image UFPA e Instituto Evandro Chagas vão monitorar qualidade das águas que abastecem a Grande Belém
Somente os lagos Bolonha e Água Preta abastecem 70% dos consumidores da Região Metropolitana de Belém. Pelo menos 600 pontos serão monitorados de outros rios que passam pela área.

image Projeto brasileiro de abastecimento de água reaproveitada das chuvas ganha prêmio na COP 27
Iniciativa "Quebrada Ecológica", do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), ficou entre as 12 soluções sustentáveis ao planeta premiadas

[[(standard.Article) Um salto para elevar o índice de saneamento e água tratada no Pará]]

Apesar dos dados alarmantes do SNIS, os números mostram que as perdas foram reduzidas, mas em pouco menos de um ponto percentual. Em 2020, elas representavam 40,1% de tudo o que era captado. Em 2021, ficou em 39,3%. Em 2014, o volume de água desperdiçado não chegava a 37%.

A meta do Ministério do Desenvolvimento Regional é de que até 2034 o total de perdas fique em 25%. Pelos cálculos do coordenador de Gestão Integrada da pasta, Paulo Rogério dos Santos, isso pode significar uma economia de R$ 6 bilhões por ano.

"Se nós reduzíssemos hoje esse percentual de perdas para 25%, nós deixaríamos de gastar R$ 6 bilhões/ano. Então, é um valor expressivo. Essa é uma prática que precisamos corrigir ou pelo menos melhorar esses resultados o quanto antes."

Dinheiro economizado poderia ser usado para melhorar o sistema

Para o secretário-executivo da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento, Sérgio Gonçalves, dinheiro jogado fora que poderia ser investido na melhoria do sistema. "É muito dinheiro, né, gente. O setor não tem R$ 6 bilhões de investimento nestes últimos anos, mais fortemente, como dinheiro já próprio". Em 2021, as empresas públicas e privadas de abastecimento de água não chegaram a investir R$ 8 bilhões. As maiores perdas são nas regiões Norte, onde mais da metade, 51% do que é captado, é desperdiçado, e Nordeste, onde as perdas chegam a 46%. Mesmo no Sudeste, que tem a maior cobertura de abastecimento, o desperdício fica em 38%.

O volume de água jogada fora seria suficiente para atender 100% da população brasileira. Hoje, a cobertura com água encanada é de cerca de 84%.

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL