Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Médico é agredido por pai de paciente ao negar atestado de três dias

O homem usou um capacete para atingir o profissional durante a consulta. O médico teve fratura no rosto e segue com hematomas

Rayanne Bulhões

Um médico foi agredido dentro de um consultório pelo um pai de uma paciente. O motivo: o profissional se negou a emitir um atestado de três dias por considerar que o caso não requeria mais do que 24 horas de afastamento do serviço. O caso aconteceu em Aragoiânia, na região metropolitana de Goiânia (GO). As informações são do portal G1 Goiás.

VEJA MAIS 

Ex-BBB Jaquelline Grohalski é hospitalizada após ter sido agredida por namorado, diz equipe
Em um vídeo postado nas redes sociais, ela aparece pedindo socorro e gritando "Vai embora daqui"


Homem agride funcionária que lavava calçada após se irritar com desperdício de água
O suspeito ainda passou a jogar água no rosto da funcionária do edifício, o que a impediu de pedir socorro


Sete pessoas são presas suspeitas de venderem vagas em fila e agredir clientes de banco no Marajó
Segundo a polícia, os suspeitos chegavam até a agredir de forma física e verbal as vítimas que aguardavam entrar na agência bancária

A vítima, Diego Ferreira Santana, de 30 anos, estava de plantão em um hospital da cidade quando recebeu no consultório uma adolescente de 17 anos, acompanhada do pai. A paciente estava com lesão no joelho e reclamava de dor. Após ser atendida, medicada e retornar para avaliação, o médico entregou um atestado de um dia, mas, o pai começou a insistir para que o prazo fosse ampliado para três dias.

“A paciente saiu sem dor, andando, estava apta para trabalhar no dia seguinte. O pai começou a xingar todo mundo e eu fui conversar com ele. Nesse momento, ele me deu um golpe com o capacete”, contou Diego. “Eu caí no chão. Tive um lapso de consciência e ele veio para cima de mim, me atingindo outras vezes. Eu me defendi, mas fiquei atordoado no momento", relatou o médico.

O profissionateve os ossos do rosto quebrados e cortes na face. Após a agressão, o acusado deixou o hospital com a filha enquanto o médico era socorrido. O caso foi registrado na delegacia de Aragoiânia. Mesmo após o ataque, agressor ainda teria rondado o hospital de moto. Porém, até o momento ele não foi localizado. O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) repudiou o ato de violência contra o médico.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL