Homem negro é espancado até a morte por seguranças de supermercado

Vítima foi agredida com socos na cabeça no estacionamento do estabelecimento em Porto Alegre

Redação Integrada com informações de Marie Claire

Dois seguranças brancos espancaram um homem negro em um supermercado de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, na noite dessa quinta-feira, 19. As agressões que levaram a vítima à morte aconteceram no estacionamento do supermercado na zona norte da cidade.

De acordo com o jornal Zero Hora, a vítima é João Alberto Silveira Freitas, conhecido como Beto, de 40 anos.

Segundo informações preliminares da Brigada Militar, a vítima teria ameaçado de agressão uma funcionária do supermercado. Então, os dois seguranças, em vez de denunciá-lo por ameaça, teriam levado João Alberto ao estacionamento, espancando-o.

Duas pessoas foram detidas. A Polícia Civil trata o crime como homicídio qualificado.

Indignação

A morte de João Alberto gerou reação nas redes sociais. Movimentos negros de Porto Alegre estão organizando uma manifestação para esta sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra, pedindo justiça e protestando contra o racismo e a violência a pessoas negras.

Internautas inundaram os perfis oficiais do Carrefour nas redes sociais. "Nada justifica duas pessoas espancarem até a morte uma outra. Revoltante", escreveu uma mulher. "'Promoção do dia' Um negro morto na semana da consciência. Explica isso", pediu outra.

Nota do supermercado

O Carrefour divulgou nota na madrugada desta sexta-feira, 20.

"Sobre a brutal morte do senhor João Alberto Silveira Freitas na loja em Porto Alegre, no bairro Passo D’Areia: O Carrefour informa que entrará com uma queixa-crime contra os responsáveis. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente.

Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais."

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL