Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

'Belém não aplicou nenhuma dose vencida', afirma chefe da Divisão de Vigilância da Saúde

De acordo com diretor Claudio Guedes Salgado, a Sesma não recebeu nenhum lote de vacina com prazo de validade vencido

João Thiago Dias / O Liberal

O diretor do Departamento de Vigilância em Saúde de Belém, Claudio Guedes Salgado, afirmou que nenhuma vacina vencida foi aplicada na população da capital. A afirmação foi feita na tarde desta sexta (02), em reportagem à rádio CBN Belém, após a repercussão de uma reportagem desta sexta da Folha de São Paulo que diz que pelo menos 26 mil doses vencidas da Astrazeneca foram aplicadas em diversos postos de saúde do país. Segundo a reportagem, em Belém, teriam sido 2.673 doses fora da validade.

LEIA MAIS:
Confira se você tomou vacina da Astrazeneca com os lotes vencidos e saiba o que fazer
Conass e Conasems investigarão caso de vacinas vencidas
Municípios paraenses dizem que não aplicaram Astrazeneca vencida
Ministério da Saúde diz que nenhuma dose de vacina vencida é repassada aos estados
MPF questiona Sespa e municípios do Pará sobre vacinas vencidas
Prefeitura de Belém divulga nova nota negando aplicação de vacina vencida

Santarém nega que tenha aplicado doses vencidas de vacina Astrazeneca
Marabá diz que não aplicou nenhuma dose vencida da Astrazeneca
'Falha no sistema', diz a prefeitura de Altamira sobre suposta vacinação fora da validade

Vacina AstraZeneca fora da validade foi aplicada em 2.673 pessoas em Belém, até dia 19 de junho

De acordo com Claudio, houve erro de registro no lote citado como fora da validade. "É importante que a gente esclareça ao público em geral essa situação. Belém não aplicou nenhuma dose vencida. Estamos refutando completamente essa informação que está lá na Folha de São Paulo. E refutamos, inclusive, quando a reportagem entrou em contato conosco para perguntar se tínhamos aplicado essas vacinas. Enviamos uma resposta e essa resposta está na própria Folha como erro de registro. E esses erros de registros podem acontecer", apontou.

Ele afirmou que o Ministério da Saúde está com o sistema aberto, neste momento, para que sejam feitas as correções. "Nós já tínhamos detectado isso e estamos fazendo as correções necessárias dentro do sistema. Aliás, não só essas como outras eventuais correções que tenhamos que fazer por erro de registro. Na maior parte das vezes, erro humano por conta de registro em papel ou alguma coisa desse tipo, porque, naquela época, estávamos migrando o nosso sistema para um sistema totalmente eletrônico que temos hoje".

Claudio Guedes Salgado também disse que a capital não recebeu nenhum lote fora da validade. "Estou aqui na frente da tela agora. Temos exatamente os lotes que usamos na data em que teria essa possibilidade de estarmos usando o lote referido como vencido. Usamos um outro lote, que tinha validade, naquele momento, até o dia 11 de setembro de 2021. Portanto, temos absoluta certeza que, em Belém, nenhuma pessoa foi vacinada com lote vencido de nenhuma das vacinas que recebemos".

Ele comentou que, quando se recebe um lote vencido, tem que ser comunicado imediatamente ao Ministério da Saúde. E existe um aplicativo para realizar esse processo. "Não temos nenhum relato lá, justamente porque não recebemos nenhum lote vencido. Podemos receber algum lote com vencimento próximo, isso é até possível, mas, diante da situação que estamos vivendo, de aplicação das vacinas quase que imediato, até com reclamações por divulgarmos o calendário em cima da hora, é muito difícil ter um prazo mais dilatado para aplicar determinada vacina. Mesmo que a gente tenha recebido alguma vacina com prazo curto para uso, ela foi usada dentro do prazo de validade", completou.

Prefeitura de Belém divulga nova nota negando aplicação de vacina vencida A capital reafirmou que a suposta aplicação fora da validade apontada em reportagem da Folha de São Paulo se baseou em um erro de registro das doses

Sespa

Em nota divulgada nas redes sociais, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informou que "realizou o envio dos imunizantes aos municípios em até 48h da chegada das doses ao Estado e não enviou quaisquer vacinas fora da validade ou próximo da data de vencimento".

Como conferir quais foram os lotes vencidos

Além das doses já aplicadas, outras 114 mil doses da vacina AstraZeneca que foram distribuídas a estados e municípios dentro do prazo de validade já expiraram. Não está claro se foram descartadas ou se continuam sendo usadas, segundo a Folha.

A AstraZeneca é a vacina mais usada no Brasil. Ela responde por 57% das doses aplicadas neste ano. O jornal destaca que a maioria foi utilizada de acordo com as orientações do fabricante.

Todos os imunizantes espirados integram oito lotes da AstraZeneca importados ou adquiridos por consórcio. Um deles passou da validade 29 de março. O que venceu há menos tempo estava válido até 4 de junho.

O lote pode ser conferido na carteira individual de vacinação. Quem tiver recebido uma dose de um dos lotes abaixo (veja a lista) deve procurar uma unidade de saúde para orientações e acompanhamento:

Número do lote e vencimento:

Lote 4120Z001 - vencido em 29 de março

Lote 4120Z004 - vencido em 13 de abril

Lote 4120Z005 - vencido em 14 de abril

Lote CTMAV501 - vencido em 30 de abril

Lote CTMAV505 - vencido em 31 de maio

Lote CTMAV506 - vencido em 31 de maio

Lote CTMAV520 - vencido em 31 de maio

Lote 4120Z025 - vencido em 4 de junho

O que fazer?

- Se você tomou a vacina da AstraZeneca de um dos lotes  após a data de vencimento, procure um posto de saúde com a carteira de vacinação. Faça o registro do erro vacinal e receba as orientações;

- Quem tomou vacina com prazo vencido precisa se revacinar pelo menos 28 dias após de ter recebido a dose;

- Especialistas dizem que lotes vencidos da vacina Oxford / AstraZeneca não oferecem riscos à saúde, mas é preciso se revacinar;

- A vacina não tem o efeito esperado. É como se você não estivesse vacinado.

Municípios paraenses citados em reportagem da Folha

Municípios e doses vencidas supostamente aplicadas:

Belém - 2.673
Itaituba - 267
Curionópolis - 60
Piçarra - 51
Santarém - 40
Bagre - 37
Novo Repartimento - 19
Irituia - 19
Xinguara - 18
Ponta de Pedras - 16
Soure - 14
Tucumã - 14
Jacareanga - 13
Altamira - 12
Conceição do Araguaia - 9
Breves - 8
Breu Branco - 8
Gurupá - 8
Capitão Poço - 7
Nova Ipixuna - 7
Dom Eliseu - 6
Muaná - 6
Parauapebas - 6
Abaetetuba - 5
Igarape-açu - 5
Portel - 5
Belterra - 4
Cumaru do Norte - 4
Gurupá - 3
Monte Alegre - 3
Rondon do Pará - 3
Floresta do Araguaia - 3
Bragança - 3
Eldorado dos Carajás - 2
Anajás - 2
Curralinho - 2
Porto de Moz - 2
Baião - 2
Mocajuba - 2
Cametá - 1
Santo Antônio do Tauá - 1
Cachoeira do Arari - 1
Ourilândia do Norte - 1
São Domingos do Araguaia - 1
Curuá - 1
Alenquer - 1
Marabá - 1
Sapucaia - 1
Melgaço - 1
Trairão - 1
Igarapé-Miri - 1
Faro - 1
Santa Maria das Barreiras - 1
Aurora do Pará -1
Oriximiná - 1
Tracuateua - 1
Rio Maria - 1
Jacundá - 1
São Sebastião da Boa Vista - 1
Mojuí dos Campos - 1
Garrafão do Norte - 1
Ipixuna do Pará - 1

Palavras-chave

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!