CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X

Prova de vida passará a ser responsabilidade do INSS

Comprovação será feita por meio de cruzamento de dados

O Liberal

A prova de vida, indispensável para o pagamento de aposentadorias e pensões, deixará de ser feita pelo segurado e passa a ser uma competência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que fará a comprovação por meio de cruzamento de dados. A mudança consta de uma portaria assinada nesta terça-feira (24) pelo ministro da Previdência, Carlos Lupi, durante evento que comemorou os 100 anos da Previdência Social. Com informações da Agência Brasil.

VEJA MAIS

image Reajuste no benefício de aposentados e pensionistas do INSS começa a valer a partir de amanhã (25)
A tabela de pagamentos do INSS 2023 foi divulgada ainda em dezembro

image Prova de vida do INSS deve ter novidades em 2023; saiba quais
Especialista avalia que menos de 20% dos beneficiários precisarão realizar o procedimento

image Eleições 2022: Voto pode servir de prova de vida para INSS, mas TRE do Pará faz um alerta
Tribunal esclarece Fake News a respeito do tema

A portaria determina um prazo de dez meses a partir da data de aniversário do beneficiário para que o INSS comprove que ele está vivo. Caso a comprovação não seja possível nesse período, o beneficiário será notificado - pelo aplicativo Meu INSS, por telefone pela Central 135 e pelos bancos - e terá mais dois meses para identificar-se e provar ao governoprovar que está vivo.

Segundo o ministro, o novo sistema é mais justo com os segurados porque evita o sacrifício de idosos com dificuldades físicas. "Por que o cidadão tem que provar que está vivo, e não o INSS? Muitos não têm condições físicas ou quem os leve a um posto ou banco para provar a sua vida", questionou.

Mesmo com a mudança e a desobrigação para o beneficiário, salvo aqueles casos em que o cruzamento de dados não revelar nada, a prova de vida pode continuar a ser feita pelo segurado da forma tradicional: indo a uma agência bancária ou por meio do aplicativo Meu INSS.

De acordo com o órgão, quase 17 milhões de benefícios, entre aposentadorias, pensão por morte e benefícios por incapacidade, deverão ser comprovados este ano.

Palavras-chave

O Liberal
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!