Edmilson (Psol) e delegado Eguchi (Patriotas) disputarão o 2º turno em Belém

Redação Integrada

Edmilson Rodrigues (PSOL) e o Delegado Federal Eguchi (Patriota) vão para o 2º turno nas eleições à Prefeitura de Belém. O primeiro já administrou a cidade por oito anos, em dois mandatos consecutivos, de 1997 a 2004, e é deputado federal. Mais votado no primeiro turno, Edmilson conquistou 248.751eleitores (34,22% do total). Já Eguchi teve 167.599 votos (23,06%), garantindo vaga no 2º turno, com uma diferença de 43.791 votos para Priante, terceiro colocado na disputa. O candidato do Patriota é delegado federal e havia disputado o cargo de deputado federal, em 2018. 

Desde os primeiros boletins divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral, minutos após a votação, o cenário de um segundo turno entre Edmilson e Eguchi já era desenhado, com o percentual médio se mantendo de 33% para o candidato do PSOL e 23% para Eguchi. Por volta das 17h40, ou seja, 40 minutos depois do fim da votação, o sistema do TSE travou, já com 61,90% das seções de Belém apuradas. Só foi atualizado novamente às 19h20, com a totalização de 98,67% das seções, confirmando 2º turno da capital paraense. 

A totalização da apuração em todas as seções da capital paraense ocorreu por volta das 23h, no site do TSE.

O resultado dos demais candidatos à Prefeitura de Belém foi o seguinte: 

Priante teve 123.808 votos (17,03% do total)
Thiago Araújo conquistou 58.827 votos (8,09%).
Cássio Andrade, do PSB, 49.988 votos (6,88%);
Vavá Martins, do Republicanos, 49.476 votos (6,81%);
Gustavo Sefer, do PSD, 22.996 votos (3,16%);
Guilherme Lessa, do PTC, 2.417 votos (0,33%);
Mário Couto, do PRTB, 1.160 votos (0,16%);
Cleber Rabelo, do PSTU, 1.026 votos (0,14%);
Dr. Jerônimo, do PMB, 759 votos (0,10%);
Jair Lopes, do PCO, 130 votos (0,02%). 

Houve ainda 45.998 votos em branco (5,75% do total) e 27.205 nulos (3,40% do total).  Ao todo, 209.591 eleitores deixaram de ir às urnas, em Belém, o que representa um índice de abstenção de 20,76%. Nas últimas eleições municipais, em 2016, o percentual foi de 19%. Segundo o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE/PA), desembargador Roberto Moura, o índice de abstenção este ano ficou dentro da média. Antes da votação, havia uma preocupação da Justiça Eleitoral quanto a um possível aumento no número de faltosos, em razão da pandemia do novo coronavírus. 

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA