Dinheiro na cueca: delegado desconfiou ao 'ver volume retangular na parte traseira'

A quantia foi encontrada após o senador pedir para ir ao banheiro

(Com informações do portal G1Roraima)

O ministro Luís Roberto Barroso (STF) ordenou que um dos vídeos da apreensão ocorrida na casa do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) deverá ser mantido em cofre da Polícia Federal em 'absoluto sigilo' por exibir 'demasiadamente a intimidade do investigado'. Nele estão os detalhes do flagrante que resultou na apreensão de R$ 33.150 nas partes íntimas do parlamentar.

A quantia foi encontrada após o senador pedir para ir ao banheiro e o delegado perceber um "volume estranho na parte traseira da roupa" do político. Segundo o relatório da PF, Rodrigues vestia short de pijama azul e uma camisa amarela quando os policiais da operação Desvid-19 chegaram à residência dele. 

Após buscas no quarto do filho, o senador pediu para ir ao banheiro, no que foi autorizado pelo delegado, desde que este o acompanhasse. "Foi nesta hora que o Delegado Wedson percebeu que havia um grande volume, em formato retangular, na parte traseira das vestes do senador", diz o documento.

Já na sala da casa, o parlamentar foi questionado por três vezes se ainda havia mais valores em espécie. Na última delas, já visivelmente contrariado, Chico Rodrigues "enfiou a mão em sua cueca, e sacou outros maços de dinheiro" que totalizaram a quantia de R$ 17,9 mil. Os outros R$ 250 foram apreendidos na última busca pessoal.

A PF suspeita que Chico Rodrigues colocou os valores na cueca depois que os policiais já estavam no interior da casa, já que não foi percebido nenhum volume nas roupas dele entre a chegada dos agentes ao local e a ida dos agentes ao quarto do filho do senador.

Imagens que constam do relatório mostram o momento em que o senador é revistado por um policial (Reprodução / PF)

"É possível afirmar que os valores foram colocados pelo Senador em suas vestes íntimas entre o momento em que a equipe deixou o seu quarto e iniciou a busca no quarto de seu filho, de forma que ele teria pedido para trocar de roupa em seu quarto para se desvencilhar dos valores que acabara de esconder em suas vestes. Mas, antes disso, foi flagrado pela equipe policial", diz o relatório.

As cédulas encontradas com o senador, segundo a PF, não tiveram sua origem lícita comprovada. Além do montante na cueca, foram apreendidos R$ 10 mil e US$ 6 mil que estavam em um cofre no quarto do senador. A diligência no imóvel foi acompanhada pelo advogado dele. Na manhã desta quinta, a defesa afirmou que ainda não havia tido acesso ao processo do STF.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!