DiCaprio rebate Bolsonaro: 'Embora dignas de apoio, não financiamos ONGs'

O ator também elogiou 'o povo do Brasil, que segundo ele "trabalha para salvar sua herança natural e cultural"

Reuters

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na última sexta-feira (29) que o astro de Hollywood Leonardo DiCaprio financiou incêndios na Floresta Amazônica, sem apresentar nenhuma prova, na mais recente tentativa do presidente em levantar culpados pelos incêndios florestais que geraram preocupação internacional.

Bolsonaro parecia estar comentando postagens nas mídias sociais alegando que a organização ambientalista World Wildlife Fund (WWF) pagou por imagens tiradas por bombeiros voluntários que, em seguida, eram supostamente usadas para solicitar doações, incluindo uma contribuição de 500 mil dólares de DiCaprio. A WWF negou ter recebido uma doação de DiCaprio ou que tenha obtido fotos dos bombeiros.

"Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", disse Bolsonaro na sexta-feira, durante breves comentários em frente ao Palácio da Alvorada.

DiCaprio negou ter doado à WWF. Em comunicado, o ator elogiou "o povo do Brasil trabalhando para salvar seu patrimônio natural e cultural". Mas ele disse: "Embora dignas de apoio, não financiamos as organizações citadas".

DiCaprio tem sido um defensor do combate às mudanças climáticas, falando frequentemente sobre questões ambientais, incluindo os incêndios florestais na Amazônia.

Sua Fundação Leonardo DiCaprio, focada em projetos que "protegem a vida selvagem vulnerável da extinção", faz parte da Aliança da Terra.

Quatro brigadistas de organização não-governamental em Alter do Chão foram presos na terça-feira sob a acusação da polícia de colocarem fogo propositadamente a fim de documentar e angariar mais doações. Eles foram libertados na quinta-feira por ordem de um juiz.

Políticos e outras ONGs criticaram ferozmente a prisão, dizendo que fazia parte de uma tentativa do governo de Bolsonaro de perturbar grupos ambientais.

Cientistas e ativistas culpam especuladores, agricultores e pecuaristas por incendiarem terras para uso agrícola, afirmando que os desmatadores estão sendo encorajados pela retórica de Bolsonaro de promover o desenvolvimento e a agricultura em detrimento da preservação.

Bolsonaro tem atacado vários grupos ao atribuir culpados pelos incêndios florestais. Em uma live no Facebook em 21 de agosto, ele disse: "Tudo indica" que as ONGs estavam indo para a Amazônia para incendiar a floresta.

Um dia depois, ele admitiu que os agricultores poderiam ilegalmente incendiar a floresta, mas após cerca de um mês ele atacou a "mídia mentirosa" por dizer que a Amazônia estava sendo devastada por incêndios.

Bolsonaro falou sobre DiCaprio na quinta-feira durante outra transmissão em rede social. O presidente disse que a WWF pagou aos brigadistas para tirar fotos dos incêndios florestais na Amazônia.

"Uma ONG contratou, pagou 70 mil reais por uma fotografia de queimada. Então o pessoal ali da ONG, o que eles fizeram, o que é mais fácil? Taca fogo no mato. Tira foto, filma, manda para a ONG, a ONG divulga aquilo, faz uma campanha contra o Brasil, entra em contato com o Leonardo DiCaprio, o Leonardo DiCaprio doa 500 mil dólares para essa ONG. Uma parte foi para o pessoal que estava tocando fogo. Leonardo DiCaprio, você está colaborando com a queimada na Amazônia, assim não dá."

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!