Polícia Federal investiga grupo criminoso responsável por caça ilegal de animais silvestres no Pará, Bahia e Tocantins

Mandados de prisão preventiva e busca e apreensão foram cumpridos em municípios de Minas Gerais

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (13) a Operação Araracanga, visando desarticular organização criminosa envolvida em caça e comércio ilegal de animais silvestres no norte e nordeste do Brasil, traficando vários espécimes da fauna local para o sudeste do país.

Segundo a Polícia Federal, a investigação teve início após uma apreensão de pássaros realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Cariri, no Tocantins , em 2018. Os indícios reunidos até aqui indicam que a organização promove reiteradamente a compra de grandes quantidades de animais silvestres nos Estados do Pará, Bahia e Tocantins, transportando-os para revenda.aos grandes centros do sudeste, a exemplo de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, e na cidade de São Paulo.

Vinte policiais cumpriram dois mandados de prisão preventiva e três mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de Gurupi, no Tocantins, nos municípios de Contagem, Ribeirão das Neves e João Pinheiro, todos em Minas Gerais.

Os investigados devem responder pelos crimes de caça ilegal, receptação e organização criminosa, cujas penas podem chegar a dezesseis anos de reclusão.

O nome da operação - Aracanga -  faz referência ao nome de uma das espécies comercializadas pelo grupo. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA