Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Oito corpos são achados no complexo do Salgueiro, após ação policial

Comunidade denuncia chacina, após PM ter sido morto sábado na região

O Liberal, com informações do G1

Oito corpos foram retirados de um manguezal no bairro das Palmeiras por moradores do Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro (RJ), na manhã desta segunda-feira (22). Até as 10h da manhã desta segunda (22), nenhuma autoridade tinha chegado à região. Os corpos foram encontrados após tiroteios registrados entre a Polícia Militar do Rio de Janeiro e supostos traficantes. Um PM também morreu na ação ocorrida no fim de semana.

“Estes confrontos foram intensos, na área de mangue, uma área de difícil trânsito. Estamos falando de um momento em que marginais estavam no interior da mata fechada”, disse o porta-voz da PM-RJ, tenente-coronel Ivan Blaz, em entrevista ao Bom Dia Rio (TV Globo).

Confrontos com PMs foram registrados no fim de semana (José Lucena / Estadão Conteúdo)

Segundo relatos, os incidentes começaram ainda na madrugada de sábado (20), quando o sargento Leandro Rumbelsperger da Silva, de 38 anos, do 7º BPM (São Gonçalo) foi atacado a tiros durante um patrulhamento em Itaúna. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) chegou a ser mobilizado e o tiroteio foi agravado. Na manhã de domingo (21), uma idosa também foi atingida no braço por uma bala perdida.

Moradores das Palmeiras que retiraram os corpos do mangue afirmam que se trata de uma chacina. Os corpos foram enfileirados e cobertos por lençóis na Rua Pedro Anunciato da Cruz, na manhã desta segunda. “Os corpos estão todos jogados no mangue, com sinais de tortura. As pessoas, uma jogada por cima da outra. Estava com sinal totalmente de chacina mesmo. Muito conhecido da gente aqui morreu. A gente estava gritando no mangue para ver se consegue tirar, mas todos mortos”, disseram os moradores.

A Defensoria Pública do RJ publicou nota afirmando ter recebido “relatos sobre a violenta operação no Complexo do Salgueiro”, e comunicou o fato ao Ministério Público, “para a adoção de medidas cabíveis a fim de interromper as violações”.

No sábado (20), quando o sargento Leandro Rumbelsperger da Silva, de 38 anos, morreu em atuação na região do Salgueiro, policiais do 7º BPM (São Gonçalo) faziam patrulhamento em Itaúna, no Complexo do Salgueiro. Eles relatam que foram atacados por disparos de arma de fogo. Na ação, um fuzil AK-47 foi apreendido, e o sargento foi baleado.

O militar chegou a ser levado para a emergência do Hospital Estadual Alberto Torres, também em São Gonçalo, mas não resistiu e morreu.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA