Filha mata a mãe com golpes de machado na cabeça em Redenção

Jovem, que teria transtornos mentais, foi levada à delegacia

Uma tragédia se abateu sobre uma família de Redenção, Sudeste Paraense, na tarde desta terça-feira (11), quando Maria Martins Meneses foi morta com golpes de machado na cabeça pela filha, uma jovem com transtornos mentais. O caso chocou os moradores da cidade, principalmente a comunidade evangélica, visto que Irmã Maria, como era chamada, era conhecida por sua participação ativa nas obras da igreja e por sua dedicação pela filha.

Ao telefone, policiais militares do 7º Batalhão (BPM) informaram que o caso foi por volta das 19h, no setor Bela Vista. Segundo apurou a guarnição que foi até a casa da família na avenida avenida Robson Wencerlens Gurjão, o corpo foi achado no chão por vizinhos, que ouviram gritos minutos antes, mas pensaram que o som era emitido pela jovem, que tinha o costume de gritar por causa de sua condição médica. Apenas quando eles foram até a casa de Maria eles acharam o corpo de mulher no chão do quarto, de bruços, sobre uma poça de sangue e co um grande ferimento na cabeça.

Maria já estava morta quando a ajuda chegou, e com a chegada da Polícia Militar, um parente da mulher informou que a autora do crime tinha sido a filha dela. A Polícia Civil chegou logo em seguida ao local, e uma rápida busca localizou a autora do crime, que foi detida, junto com a arma usada no homicídio: um machado. 

Ainda não se sabe o que ocorreu dentro da casa que levou à fatalidade, mas acredita-se que a jovem tenha entrado em um surto psicótico, devido às condições psicológicas dela. 

 

 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA