Curuçá: adolescente é morto a pauladas a cinco dias de completar 16 anos

Um dia antes do crime, um suspeito foi visto rondando a casa do jovem com um pedaço de madeira nas mãos

Um adolescente de apenas 15 anos foi assassinado a pauladas no município de Curuçá, no nordeste paraense, na madrugada desta quinta-feira (03). O jovem foi atacado no bairro Sertão, que fica na Vila do Abade, um distrito insular do município que integra a mesorregião do Marajó.

Segundo a mãe do rapaz, o crime deve ter sido por volta de 4h, pois às 7h, um homem que trabalha em uma oficina foi até a casa dela, no bairro União, avisar que um rapaz estava morto na travessa São José, e que pelas características físicas, aparentava ser o filho dela. A mulher seguiu para o local imediatamente, encontrando o cadáver do jovem no chão e, para seu desespero, constatando que se tratava de seu filho. Ele apresentava um ferimento grande na cabeça, feito por um pedaço de pau. O rapaz, natural de Macapá, capital do Amapá, morreu a cinco dias de completar 16 anos. 

Em depoimento à Polícia Civil, a mulher disse que seu filho era usuário de drogas e cometia pequenos furtos para trocar por entorpecentes com traficantes. Na manhã do dia anterior à morte do rapaz, ela contou que estava lavando roupas quando um indivíduo chegou à sua casa. Ela perguntou porque ele estava atrás de seu filho, e o homem respondeu que o adolescente havia emprestado o celular dele para fazer uma ligação, e não teria devolvido. Ele ainda teria dito que "se isso foi com outra pessoa, talvez não teria a mesma paciência que ele teve". 

Mais tarde, uma vizinha disse que viu o mesmo desconhecido rondando o bairro, abaixado em um quintal com um pedaço de pau nas mãos. A polícia colheu esse depoimento e trata esse homem como suspeito de participação na morte do rapaz.

A mulher achou relevante dizer à polícia que seu filho possuía uma deficiência na perna direita, pelo fato de ter sido alvejado por um disparo de arma de fogo na cidade de Portel, no Arquipélago do Marajó. O rapaz passava dias sem voltar para casa onde morava com a mãe, apenas fazendo as refeições diárias e voltando para a rua. A Polícia ainda não sabe quem matou o rapaz, mas as investigações seguem com base no relato de testemunhas. Até o momento, o homem descrito no depoimento não foi encontrado.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!