Presidente do Paysandu acusa Hélio dos Anjos de vazar documentos e diz: 'Mentiroso'

Ricardo Gluck Paul confirmou que o documento é verdadeiro e que Felipe Albuquerque foi advertido; de acordo com o presidente bicolor decisão foi tomada em conjunto e com Hélio participando

Redação Integrada

O presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul se pronunciou sobre o vazamento de um documento, que cita uma agressão do executivo Felipe Albuquerque a um funcionário de um hotel na cidade de Porto Alegre (RS). Ricardo acusa o técnico Hélio dos Anjos de expor o documento e chamou o treinador de mentiroso.

 “Aconteceu o fato narrado neste documento no jogo São José-RS x Paysandu em Porto Alegre (RS) no ano passado. O que me surpreende não é o fato em si, pois o futebol é cheio de bastidores e têm situações em vários momentos, mas o que mais me deixa surpreso é e forma como esse documento surge nesse momento em que estamos atravessando. O que acho lamentável é o ‘patrocínio’ do linchamento de um profissional. Me admira muito o Hélio dos Anjos que é um técnico renomado, vitorioso e com 36 anos de carreira, se dedicar tão fortemente ao cancelamento de um profissional. Isso realmente é lamentável, estarrecedor e triste de ver que ele não se preocupa com a integridade física de um guerreiro do grupo do Paysandu”, disse.

De acordo com o mandatário bicolor, Hélio dos Anjos foi questionado sobre o rumo que a entrevista coletiva dada por ele tomou. Ricardo afirmou que o treinador pouco se importou com o questionamento e que os jogadores estão estarrecidos com a atitude.

“Isso ficou claro quando o Hélio deu uma entrevista desastrosa, onde ele insinuou uma porção de coisas e firmou outras e a interpretação da declaração dele foi para um rumo totalmente que estava tendo equivocado, que havia interferência em escalação e contratações. Chamei o Hélio no domingo, falei que a declaração estava resultando em um cancelamento de um diretor e membro da nossa equipe e que não seria justo, pois não foi isso que ele quis dizer, me respondendo que ‘não foi isso o que eu disse e que não havia interferência’. Questionei para que ele fizesse uma defesa, uma nota, um áudio sobre isso, mas ele disse que ‘não é problema meu’. Então ele pouco se importou com o linchamento de uma pessoa, ele fez questão de promover. Esse documento do fato que surge agora ele só corrobora com a tese e mostra que o Hélio ainda se incomodando e distribuindo para imprensa documentos e fatos antigos com objetivo de continuar promovendo o linchamento de uma pessoa, pouco se importando com integridade física. O elenco do Paysandu está assistindo esse linchamento de forma incrédula, revoltados com isso”, comentou.

NO HOTEL

“Quando ocorreu esse fato em Porto Alegre nós fizemos uma reunião no quarto do Hélio dos Anjos. Eu, Luciano (supervisor do Paysandu), Hélio dos Anjos e Guilherme e nós quatro decidimos que era um caso de uma advertência verbal, que não era um caso de desligamento, demissão ou se tornar público. Além da falta de caráter, coração, de não assumir uma decisão conjunta e transfere pra mim. Ninguém passou a mão na cabeça de ninguém, decidimos juntos, pois o próprio Hélio sai à noite para jantar, o Guilherme sai à noite para tomar um vinho, chega tarde e eu também faço isso. Vamos deixar de ser hipócrita, quem não pode sair desse regramento são os atletas, que possuem uma rotina de sono de qualidade, com hora certa, rigor nutricional, físico e cada um possui seu papel e algumas funções não estão ligadas à rotina do atleta, de sono de qualidade, então essas pessoas são permitidas que saiam à noite, que cheguem tarde, que possam jantar e até mesmo em algum momento se divertir dependendo do momento é o que todos acabam fazendo. Eu mesmo sai com o Hélio e o filho dele para jantar e beber vinho, que hipocrisia é essa? Naquele momento avaliamos que bastava uma advertência verbal (ao Felipe Albuquerque) e foi o que fizemos, o diretor foi punido, ele se justificou, assumiu o erro e arcou com todo esse processo, fez o acordo. Então é muito lamentável um profissional de mais 36 anos de carreira, promover e patrocinar o linchamento de uma pessoas nas redes sociais e com mentira, pois não tem coragem para dizer que junto comigo tomou a decisão de aplicar a advertência e ele também é responsável, basta o nossos supervisor Luciano confirmar e encerra a história. Tive que viver pra ver essa falta de caráter de humanismo e não ter condições discernir as consequências de um ato covarde como esse”

A equipe de OLiberal tentou contato com o técnico Hélio dos Anjos para saber a sua versão sobre a situação, mas ainda não obteve resposta.

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES