Seleção Brasileira de Basquete deixa a derrota para os Tchecos para trás e mira vitória contra os EUA

Brasileiros precisam vencer e torcer para Grécia derrotar os tchecos

Redação Integrada

A falta de energia que Aleksandar Petrovic tanto lamentou após a dolorosa derrota para a República Tcheca por 91 a 73, sábado à tarde, na Shenzhen Bay Arena, não poderá faltar nesta segunda-feiram(9), a partir das 9h30 (horário de Brasília), quando a Seleção Brasileira entra em quadra para jogar todas as suas fichas na Copa do Mundo da FIBA, que está sendo disputada na China.

 

Com três vitórias e uma derrota no grupo H, o Brasil precisa fazer sua parte e ganhar dos Estados Unidos para seguir vivo na competição. O problema é que um simples resultado positivo diante dos americanos só será suficiente para carimbar a vaga nas quartas de final caso a Grécia derrote o time tcheco na primeira partida do dia, às 5h30. Em caso de vitória da República Tcheca, a Seleção só ficará entre as oito melhores do mundo se bater a equipe de Gregg Popovich por 22 pontos de diferença.

 

Titular nos últimos dois jogos e principal pontuador da Seleção Brasileira na derrota contra os tchecos, com 12 pontos, Vitor Benite mostrou a serenidade de sempre ao apontar as lições tiradas da fraca atuação de sábado. Mesmo sem citar a excelente atuação diante da Grécia, na segunda partida da fase de grupos, o ala deixou claro que o grupo precisa trabalhar o lado mental para saber equilibrar os altos e baixos vividos numa competição rápida e dinâmica como a Copa do Mundo.

 

- A pancada que a República Tcheca nos deu nos mostrou uma realidade na qual não podemos acumular emoções demais depois de cada partida. Eles foram superiores ofensivamente e defensivamente e mereceram a vitória. Só que do mesmo jeito que não podemos comemorar muito quando estamos bem, não podemos abaixar a cabeça após uma derrota como essa. Só dependemos de nós contra os Estados Unidos", analisa

 

Marcelinho Huertas faz coro às palavras de Benite e mira todas as suas atenções para os Estados Unidos. " Será um jogo completamente diferente. Temos que esquecer o quanto antes a derrota para a República Tcheca, trabalhar para não repetir os mesmos erros e entrar para ganhar. A realidade do basquete americano é outra, eles não vieram com o time principal, temos que tentar tirar alguma vantagem disso. Eles ganharam da Turquia num verdadeiro milagre e temos que ir para cima deles confiantes em conquistar uma vitória e nossa classificação", destaca

 

Mais Esportes
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!